Método para controlar atitudes e emoções

Método para controlar atitudes e emoções

Carioca radicada em Brasília criou um conceito inovador, que promete mais serenidade para o trabalho e a vida pessoal - universos indissociáveis segundo a autora. Desde o ano passado, 90 líderes de empresas foram treinados pela consultora

postado em 06/03/2016 00:00
 (foto: Helio Montferre/Esp. CB/D.A Press - 20/1/16 )
(foto: Helio Montferre/Esp. CB/D.A Press - 20/1/16 )

Depois de mais de 10 anos de observações e reflexões junto a gestores de recursos humanos e desenvolvimento de estudos sobre comportamento humano, Andréa Guimarães Nunes, 44 anos, lançou o conceito de educação atitudinal em 2014. Natural do Rio de Janeiro, é moradora da capital federal desde 1973. Ela é administradora, mestra em ciência da informação pela Universidade de Brasília (UnB), especialista em gestão e fundadora da ATC Consultoria e Treinamentos. Em 2015, o método passou a ser disponibilizado a instituições e empresas de grande porte. De lá para cá, 91 gestores de nível tático e operacional participaram de workshops temáticos.

Com o método, por meio de atividades individuais e em grupo, ela demonstra a importância de controlar pensamentos, emoções, sentimentos e expressões, utilizando-os para qualificar a tomada de decisões, a convivência em família e no trabalho. Felipe Andreolla, 38 anos, supervisor de Educação e Tecnologia do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial do Rio Grande do Sul (Senai-RS) participou de uma oficina sobre educacional atitudinal. A programação fazia parte de um programa de desenvolvimento e aperfeiçoamento de lideranças do Instituto Euvaldo Lodi (IEL). Ele avalia a experiência como marcante e importante para aflorar um estilo de vida que queria aprender a levar: o de estar sempre em equilíbrio nos âmbitos pessoal e corporativo.

;Eu tentei absorver tudo que foi dito. Eramos apresentadas dificuldades e tínhamos que trabalhar em cima disso. O grupo todo construía uma solução individualmente ou em equipe, e essa colaboração fez toda a diferença. As atividades são muito dinâmicas e interativas, você se sente à vontade para expor sentimentos e emoções;, lembra Felipe. Ele conta que passou a aplicar o que aprendeu para ter autocontrole, saber se posicionar, ser mais resiliente e apresentar mais foco em resultados.

O que é a educação atitudinal?

É a educação que não tivemos, de pensamentos e expressões. Nossos sistemas de ensino tradicionais não contemplam essa abordagem e, hoje, o mundo do trabalho, a vida em família e em sociedade estão imensamente carentes desse conceito, que é a educação do pensar, das emoções. Não sabemos administrar impulsos nem estados temporários de conflito que se expressam, muitas vezes, em agressões verbais, omissões ou ações e decisões infelizes que nos adoecem ou que limitam muito nossa capacidade de criar, produzir, cooperar e atingir resultados. O método proporciona a indivíduos e grupos a oportunidade de encontrar nos próprios valores e talentos, soluções e resultados. A atitude é a variável mais crítica e sensível na gestão de pessoas e é a que mais impacta os resultados nas organizações. Nós precisamos desse ;refletir sobre pensamentos, emoções e sentimentos antes de agir;.

Quais são as técnicas usadas na educação atitudinal?
Nós formamos grupos de até 25 participantes nos workshops para produção de planos de ação individuais ou em equipe. A abordagem é acolhedora e dinâmica. As técnicas são: exposições de conteúdos, dinâmicas de integração e de ativação da curva de atenção (incluindo músicas e movimento, figuras geométricas, adesivos e fichas que chamamos de ;moedas; da gratidão e da confiaça para recompensá-los), atividades lúdicas sistematizadas, sempre contextualizadas ao grupo.

Por que você escolheu treinar líderes?

Porque são eles que possuem a valiosa missão de serem exemplo, de serem facilitadores do desenvolvimento de pessoas. A educação atitudinal é para todos, mas os gestores são os indutores de avanços. Um líder pode estar em qualquer função; a liderança é uma característica natural e pode ser exercida por qualquer um. Já a função de gestão, por vezes, é ocupada por profissionais que não têm perfil de liderança. A educação atitudinal se dirige a todas essas situações.

Você se inspirou em outros métodos existentes?
Não. Eu desenvolvi a ideia com incentivo de psicólogos especialistas em educação, treinamento e desenvolvimento humano, e inspirada por autores como Carl Gustav Jung, Willian Ury, Stephen Covey, Rossandro Klinjey e Maria Cândida Moraes.

Qual a diferença entre educação atitudinal e inteligência emocional?
A inteligência emocional é uma competência, é uma capacidade que pode ser alcançada por todos. A educação atitudinal é o método, é o meio de se chegar lá.

Como a educação atitudinal se aplica ao ambiente de corporativo?
Muitas vezes, chegamos ao nosso ambiente de trabalho com a capacidade produtiva lá embaixo. E o trabalho é um lugar onde precisamos render. Por isso, a educação atitudinal tem como objetivo básico facilitar a compreensão do nosso estado, não só físico, mas também mental ; assim, passamos a ter adequado controle sobre ele. O método torna as pessoas mais capazes de encontrarem em si mesmas e coletivamente respostas


"Precisamos compreender como funcionamos para não sermos comandados pelo estresse e pela ansiedade. A educação atitudinal proporciona paz interior, aceitação e capacidade de ação e inovação;


Fique ligado

Ficou interessado ou quer saber mais?

Entre em contato com Andréa Guimarães Nunes por meio do site da ATC Consultoria e Treinamentos: atcconsult.com.br ou pelo e-mail andrea_nunes@atcconsult.com.br.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação