Ativos atraem outras empresas

Ativos atraem outras empresas

postado em 14/03/2016 00:00

O sistema elétrico do Brasil não pode se dar ao luxo de esperar pela solução judicial. A Usina de Belo Monte precisa escoar a energia por quatro linhões concedidos à Abengoa, que dificilmente ficarão prontos no prazo. Outros projetos, como os eólicos e solares, dependem de linhas de transmissão para poderem ir a leilão.

O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, chegou a afirmar que grupos estrangeiros estariam interessados nos ativos da Abengoa. O Ministério de Minas e Energia (MME) não confirma e diz apenas que continua discutindo a busca de uma solução que permita a continuidade das obras de responsabilidade da empresa. ;Ainda não há definição sobre o assunto;, afirma o MME, em nota.

Não faltam interessados nos ativos da Abengoa. State Grid, Furnas, Brookfield e Associação Brasileira das Empresas Eólicas (Abeeólica) estudam entrar no negócio. A Brookfield diz que não comenta rumores de mercado. ;A State Grid Brasil Holding confirma que há interesse nos ativos, mas nenhuma proposta formal foi realizada;, explica a assessoria de imprensa da empresa.

Furnas, do Sistema Eletrobras, admite que ;avalia, preliminarmente, a possibilidade de adquirir, em parceria, a linha de transmissão pré-Belo Monte, empreendimento em construção;. (SK)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação