Vasco passa sem drama pelo Bangu

Vasco passa sem drama pelo Bangu

postado em 14/03/2016 00:00
 (foto: Thiago Ribeiro/Ag. O Globo
)
(foto: Thiago Ribeiro/Ag. O Globo )

Na estreia da Taça Guanabara, o Vasco manteve o bom desempenho da fase de grupos do Campeonato Carioca e venceu o Bangu por 2 x 0, em São Januário. O domínio durante os 90 minutos consolidou a vitória, com gols de Jorge Henrique, que não marcava desde agosto, e Luan. O resultado manteve a invencibilidade do Vasco na competição.

O time entrou em campo com a intenção de definir a partida o mais rápido possível e a primeira chance veio com menos de um minuto de jogo. Em uma bola de Luan, por cima do travessão, o mandante deu o primeiro dos mais de vinte chutes a gol. Com vários lances similares, o cruz-maltino pressionou nos ataques rápidos.

Depois de um jejum de quase sete meses, Jorge Henrique voltou a marcar. Aos 21 minutos, Madson cruzou pela direita, para que ele finalizasse. Essencial no esquema tático de Jorginho, o último gol do atacante havia sido em agosto passado, contra o Flamengo, pela Copa do Brasil. Integrantes da comissão técnica saíram do banco para abraçar Jorge Henrique.

Na saída do gramado, o jogador comemorou. ;Estou trabalhando e me dedicando nos treinos. Hoje fui feliz de poder fazer o gol;, disse. O baixo número de gols não incomoda o atacante. ;É sempre bom fazer gols, mas isso não me atrapalha. Procuro dentro de campo ajudar a equipe;, completou.

O Vasco só não fez mais antes do intervalo por causa de Célio Gabriel. O goleiro fez excelente defesa no cabeceio de Rodrigo e impediu mais um do cruz-maltino. O goleiro vascaíno também foi destaque. Pelos 100 jogos no time, completados na última rodada, Martín Silva recebeu uma placa e uma camisa personalizada do presidente Eurico Miranda.

Com o mesmo panorama do primeiro tempo, a etapa complementar seguiu com o domínio cruz-maltino. O adversário não apresentava resistência ; o Bangu não acertou nenhum chute a gol.

Pelas chances desperdiçadas pelo time, o técnico Jorginho estava impaciente à beira do gramado. Aos 29 minutos, o Vasco ampliou. Com cobrança de falta na área, Rodrigo escorou para Luan completar. Aos 40 minutos, Nenê quase marcou um golaço, mas parou na trave.

Na entrevista após a partida, o técnico não deu descanso e cobrou. ;Precisamos ser mais efetivos nas oportunidades que estão surgindo;, disse Jorginho, em relação ao volume de gols perdidos. Exigente, esperava um placar mais elástico. ;Ainda pecamos no jogo de hoje, poderia ter sido um placar de três ou quatro gols. No fim, em uma jogada ensaiada deles, poderíamos ter tomado o gol;, pontuou o treinador.

Na próxima rodada, o Vasco viaja para Cariacica (ES). Para manter a invencibilidade, o cruz-maltino enfrenta o Boavista, no sábado, no Estádio Kléber Andrade.

FICHA

Vasco 2
Martin, Madson, Luan, Rodrigo e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Julio dos Santos, Andrezinho (Matheus Indio) e Nenê; Jorge Henrique (Mateus Vital) e Thalles (Caio Monteiro)
Técnico: Jorginho

Bangu 0
Célio, Paulo Barrach (Igor), Marlon, Anderson Penna e Guilherme; Ives, Magno, Junior e Almir; Giovanni e Tiago (William)
Técnico: Emanoel Sacramento

Gols: Jorge Henrique, aos 21min do primeiro tempo; Luan, aos 29min do segundo tempo
Cartões amarelos: Jorge Henrique (Vasco); Junior e Magno (Bangu)
Renda: R$ 118.715,00
Público: 3.943 pagantes

Mancuello, só na semi

O tratamento intensivo que o meia argentino Mancuello vem fazendo para se recuperar de uma lesão no joelho direito dificilmente o colocará em campo pelo Flamengo até o fim da Taça Guanabara. Apesar de todo o esforço do atleta e do Departamento Médico do clube, o jogador só deve retornar caso o rubro-negro se classifique às semifinais do Campeonato Carioca.

A fase semifinal do torneio ocorre logo depois da Taça Guanabara, que definirá os quatro classificados.

Ontem, depois da vitória sobre o Madureira por 1 x 0, os atletas do Fla tiveram o dia de folga. O time volta aos treinos hoje visando ao duelo contra o Confiança, na quarta-feira, na estreia da Copa do Brasil. O camisa 10, Ederson, poupado contra o Madureira, volta ao time, o que, em tese, significa que Gabriel retorna ao banco de reservas. Assim, do meio para a frente, o Flamengo deve jogar com Cuéllar, Arão, Ederson, Cirino, Sheik e Guerrero.

Quando estiver apto, o argentino deve entrar no lugar de Ederson ou de Sheik.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação