França condena o "dentista do horror"

França condena o "dentista do horror"

» RODRIGO CRAVEIRO
postado em 27/04/2016 00:00
 (foto: Reprodução)
(foto: Reprodução)



Os depoimentos se revelam uma sucessão de horrores. Em Chateau-Chinon, uma comuna de Borgonha, na região central da França, ao menos 120 moradores que se consultaram com o dentista holandês Jacobus Mark Van Nierop, 51 anos, foram mutilados. Os crimes ocorreram entre 2009 e 2012. Quando o escândalo veio à tona, ele fugiu para o Canadá e acabou extraditado, em 2014. Nicole Martin, 66 anos, professora de história e geografia e presidente da Associação do Coletivo Dentário ; uma congregação de vítimas de Van Nierop ; admitiu ontem ao Correio estar contente com a decisão da Corte de Nevers.

;Em 14 de março passado, a Promotoria da República, representante da sociedade francesa, solicitou oito anos de prisão para Van Nierop. Hoje (ontem), o presidente do tribunal confirmou a sentença de oito anos. Estou feliz, assim como todas as vítimas;, afirmou a idosa, em entrevista por e-mail. Muitos pacientes do ;dentista do horror; tiveram dentes arrancados sem qualquer motivo, receberam doses pesadas de anestesia e desenvolveram abcessos e infecções gengivais. Além da prisão, Van Nierop teve o diploma cassado e foi multado em 10,5 mil euros (cerca de R$ 41,7 mil).

Nicole teve o azar de procurá-lo quando o seu dentista estava de férias. ;Uma obturação tinha caído e decidi ir até ele. Van Nierop me fez perder o dente que estava com problema e outros dois dentes bons. Eu acabei por desenvolver abcessos, e ele arrancou os três dentes;, comentou. ;Eu confiei em Van Nierop. Ele era do tamanho de um jogador de rúgbi e muito forte. Quando estava sentada na cadeira do consultório, ele aplicou uma anestesia que me fez dormir por cinco a seis horas. E ninguém sabe ao certo o que ele fez comigo. No dia seguinte, paguei 900 euros para que ele colocasse a coroa de volta no dente. Van Nierop se negou a devolver o dinheiro e a me entregar o prontuário. Descobri que ele adulterou as informações sobre o tratamento. Sessões que duraram 10 minutos foram preenchidas nos papéis como se tivessem durado o dobro. Ao me comunicar com outros dentistas de Nevers, descobri que várias outras pessoas tiveram problemas com Van Nierop.;

Uma outra ex-paciente de 65 anos descreveu, durante o julgamento, como o dentista arrancou oito dentes de uma só vez. ;Jorrei sangue por três dias. E fiquei sem nenhum dente por um ano e meio;, contou. A promotora Lucile Jaillon-Bru acusou o odontólogo de ;sentir prazer em causar dor nos pacientes; e em realizar ;procedimentos inúteis e dolorosos;. Sem demonstrar emoção, Van Nierop disse ao juíz que ;não se interessa por pessoas; e que não se lembrava dos pacientes.

Vítima


;Para todas nós, vítimas, a sentença de oito anos de prisão é pouco,
se comparado com todo o nosso sofrimento. Mas a verdade é que ele foi punido.;

Nicole Martin, 66 anos,
professora e presidente da Associação do Coletivo Dentário

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação