Crônica da Cidade

Crônica da Cidade

Comissão de Ética

postado em 27/04/2016 00:00

Deputado Inocêncio Laranja: Vamos discutir a comissão.

Deputado Diabo da Fonseca: A minha comissão é de 40%.

Deputado Inocêncio Laranja: Não é isso, sua besta. Nós estamos discutindo a comissão para julgar o processo de ética contra o deputado Florisvaldo Punha.

Deputado José Marcos Pimenta (presidente da Comissão de Ética): O senhor foi flagrado em falso testemunho. Mentiu deslavadamente perante uma comissão oficial desta Câmara que não tinha nenhum dinheiro depositado em bancos da Suíça.

Deputado Florisvaldo Punha: Veja bem, se o dinheiro está em nome de uma off-shore, não pode ser meu. Eles estão administrando tudo. A titularidade não é minha. Eu sou apenas o usufrutuário.
Coro: Eles não estão mais no mundo. Eles estão no Terceiro Mundoooooooooo!

Deputado José Marcos Pimenta: Mas o senhor viajou para a Europa e os Estados Unidos para tirar férias e viveu como nababo. O senhor, a sua esposa e a sua filha gastaram 84 mil surreais em sete dias quando ganhava o salário de 17 mil reais declarados no Imposto de Renda.

Deputado Florisvaldo Punha: Veja bem, esse dinheiro eu consegui vendendo carne enlatada para os marcianos. Tenho todas as notas para provar.

Advogado Pinachi Pinocchio: Entrarei com uma ação. Os promotores estão ferindo a presunção de inocência do meu cliente. Afinal, ele só tem 200 milhões de acarajés em uma off-shore na Suíça, 500 milhões de jabaculês nos paraísos fiscais do Panamá e 1 bilhão de quibes nas contas secretas em Cayman.
Magistrado Enrico Arnot: Impende recolher esse dinheiro sujo.

Advogado Pichachi Pinocchio: É verdade que o meu cliente desviou a grana de uma estatal, mas lavou tudo na Suíça. A Suíça lava mais branco do que Omo.

Deputado Marcos Pimenta: Precisamos investigar também a falsificação de assinatura em moção para barrar a cassação do deputado Florisvaldo Punha.

Deputado Vinicius Rafael: Essa assinatura tremida é porque eu bebi demais, misturei com remédio tarja preta e ouvi muita música breganeja e sertanejo universitário. Fiquei chapado.

Deputado João Marcos Pimenta: (Em tom grave) Isso não se justifica, deputado Vinicius de Moraes.

Deputado Inocêncio Laranja: Não é Vinicius de Moraes, é Vinicius Rafael. Mas também, com esse nome Vinicius, o sujeito já nasce meio embriagado e com tendência a uma vida dissipada.

Deputado Florisvaldo Punha: Eu sou um homem probo, todas as minhas contas foram aprovadas pelo TSE. Comprei de um juiz a reputação de ficha limpa e declarei tudo no Imposto de Renda.

Deputado Diabo da Fonseca: Olha o rapa! Pega ladrão, corrupto, venal e mentiroso! O deputado vende propina, o advogado vende a alma ao diabo e o parlamento vende o Brasil.
Todos correm com desespero. Mas, logo em seguida, ao perceberem a farsa, retornam e retomam os seus lugares no parlamento. De repente, cresce o movimento dos deputados embrulhados na Bandeira do Brasil: ;Florisvaldo Punha presidente! Florisvaldo Punha presidente! Florisvaldo Punha presidente!”

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação