Perigo ronda o estacionamento

Perigo ronda o estacionamento

Assaltantes não se intimidam com câmeras de vigilância e atacam moradores a fim de roubar o carro. Polícia Civil investiga quadrilha especializada em ação na área central de Brasília

» RAFAEL CAMPOS
postado em 20/05/2016 00:00
 (foto: Helio Montferre/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Helio Montferre/Esp. CB/D.A Press)




Conseguir uma vaga de estacionamento no Plano Piloto não é a única preocupação dos motoristas. Os riscos que envolvem roubos e furtos de veículos também são constantes na área central de Brasília. Apenas entre janeiro e fevereiro, 44 carros foram levados mediante violência nas asas Sul e Norte, segundo a Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social. Um dos fatores que chamam a atenção da polícia é a dificuldade de se estabelecer um perfil de quem pratica esses crimes na região. Um exemplo é o caso ocorrido no último domingo. Um casal e a filha ficaram oito minutos dentro do carro parado diante do Bloco K da 110 Norte e tiveram o veículo roubado ; o sistema de vigilância do edifício comprova o tempo de permanência das vítimas.

Apesar de não ter cometido nenhuma violência contra os três, o suspeito teve um comportamento atípico, segundo a polícia. ;Geralmente, o criminoso busca uma pessoa sozinha, pois vai precisar rendê-la. Ele não quer muita gente por perto, para ser mais discreto, e o local não pode ter câmera de segurança. Nesse caso, o acusado tinha 1,90m e cometeu o roubo em frente à guarita do bloco, abordando um casal com filho às 18h30;, conta o titular da Delegacia de Roubo e Furto de Veículos (DRFV), Marco Aurélio de Souza. O carro foi encontrado às 5h do dia seguinte, em Ceilândia.

De acordo com o delegado, mesmo que o Plano Piloto não esteja entre as regiões administrativas no qual acontecem mais roubos e furtos, a área merece uma atenção constante das forças policiais. ;O Plano, em virtude da movimentação, requer uma atenção contínua, de maneira a verificar quando é preciso ser feita uma repressão pontual até que, em um segundo momento, as nossas investigações em relação às quadrilhas cheguem a quem está alimentando esse ciclo. Muitas vezes, eles (os suspeitos) moram no Entorno, e esse carro é repassado por um valor pequeno. As operações estão rendendo muito, mas ainda há muitos criminosos nas ruas;, detalha.

Ainda assim, quem passou pela situação acredita que a localidade é uma das mais visadas. A professora Lívia Gomes, 27 anos, dá aulas em Planaltina e São Sebastião. Nunca teve problemas com seu carro nessas duas cidades, mas sofreu dois furtos na Asa Norte. ;Na primeira vez, roubaram o estepe e o som, quando meu carro estava parado em frente a uma faculdade particular. Da segunda vez, estava na 712 Norte, e os bandidos levaram os meus tênis e uma jaqueta;, conta. Após esses episódios, Lívia passou a ter mais cuidado na hora de estacionar. ;Na 712, não consigo nem mesmo parar mais. Agora, olho sempre para o que está acontecendo e não deixo nada no carro quando vou sair.;

Apesar desses casos, 2016 tem sido um ano com menos casos do que 2015. Dados da Secretaria da Segurança e da Paz Social mostram que houve queda de 43% no total de roubos de veículos no Plano Piloto, quando comparados os números de janeiro e fevereiro desses dois anos. No caso dos furtos de carros, houve, no mesmo período, 581 ocorrências neste ano contra 674 em 2015 ; a diminuição é de 14%.

Porém, os números não revelam um problema comum para as forças policiais que atuam na área central de Brasília: a dificuldade para convencer os moradores, normalmente com maior poder aquisitivo, a cooperarem com as investigações. ;A cobrança é maior, mas a colaboração da sociedade é menor. São pessoas de bem, trabalhadoras, que querem fazer jus aos seus direitos. Mas as que são vítimas têm barreiras para vir até a delegacia, porque não querem se expor;, frisa o delegado Marco Aurélio.

Atitude

Não foi o caso do publicitário Tiago Vaz, 27 anos. Quando teve seu veículo roubado ano passado, na 109 Norte, ele não só entrou em contato com a PM e o Departamento de Trânsito (Detran) como também criou uma página em uma rede social para tentar encontrar o carro. ;Tudo isso mudou a minha forma de estacionar. Comecei a deixar o carro sempre próximo à portaria, procurando locais mais iluminados. E, quando vou às comerciais, prefiro pagar o vallet. Não fazia isso antes, mas prefiro o gasto com ele do que o que tive com o meu carro roubado;, explica.



Cuidados

Confira dicas para evitar roubos e furtos de veículos


; Usar películas de vidro
para dificultar a identificação
; Não usar adesivos que possam identificar onde
você vai, como academia, faculdade, escola etc.
; Manter o ar-condicionado sempre ligado para que as janelas fiquem fechadas
; Se o pneu furar, tentar dirigir até um local movimentado
; Caso veja alguém pedindo ajuda na via, ligue para a polícia e avise sobre a necessidade
; À noite, quando o sinal estiver vermelho, sempre pare do lado direito da via. Os bandidos tendem a abordar quem está à esquerda
; Mantenha sempre a primeira marcha engatada quando parar em um sinal vermelho
; Evite distrações quando entrar no carro: nada de
ficar olhando o celular.
E, claro, nada de namorar enquanto estiver estacionado
; Evite fazer compras
em sinais de trânsito
; Sempre olhe ao redor
todas as vezes em que for estacionar seu carro


Fonte: Julliana Oliveira, supervisora de seguros.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação