Lideranças sem nomes

Lideranças sem nomes

postado em 20/05/2016 00:00
; JULIA CHAIB
; PAULO DE TARSO LYRA

A equação que resultará na definição do líder do governo no Senado Federal e no Congresso Nacional ainda não foi solucionada. Para não repetir a criticada indicação do deputado André Moura (PSC-SE) à liderança do governo na Câmara e dar gás a votações importantes, o presidente interino da República, Michel Temer, busca nomes menos comprometidos para a Casa alta. O anúncio de quem vai liderar o governo no Senado ocorrerá na próxima semana.

Na terça-feira que vem, o Congresso votará a redução da meta fiscal. Será a primeira medida urgente e sensível a ser tratada desde que Temer assumiu interinamente a Presidência. A senadora Simone Tebet (PMDB-MS) foi procurada para ser a líder na Casa, mas ainda não deu resposta. O deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ) chegou a ser convidado a assumir a liderança do Congresso, mas ele negou. Outros cotados para as funções são o senador Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN) e Waldemir Moka (PMDB-RN), que também é cogitado para assumir a relatoria do orçamento.

Ontem, o presidente do Senado, Renan Calheiros, defendeu uma representação feminina para a Casa e mencionou o nome de Simone, seguido pelo de Ana Amélia (PP-RS) e o de Lúcia Vânia (PSB-GO). ;Eu acho que, se for uma mulher, será bom como uma resposta do Senado a essa circunstância que vivemos no Brasil;, disse, em referência à falta de mulheres no ministério de Temer, formado por homens brancos. ;Vamos escolher um nome que tenha competência. Se for mulher, tudo bem. Mas precisa ser competente;, disse o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima.

Renan ainda criticou a indicação de Moura, dizendo que sabe da ;dificuldade; para a escolher de nomes na Câmara. ;Aqui no Senado, nós não temos escassez de nomes, nós temos excesso. A demora de mais um dia ou menos um dia é porque temos muitos nomes de senadores e senadoras que podem assumir a liderança;, afirmou Renan.

No início da semana, Temer passou ao líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira (CE), a missão de escolher o líder tanto no Senado, quanto no Congresso Nacional. Na quarta-feira, Eunício almoçou com Renan e com o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, para discutir o assunto. À noite, conversou com Simone, que ponderou algumas questões e disse que responderia ao convite no início da semana que vem.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação