Deputadas na bronca com Dilma

Deputadas na bronca com Dilma

Em encontro com Temer, bancada feminina na Câmara reclama da falta de diálogo com a petista. Presidente em exercício sinaliza que, na próxima reforma ministerial, pretende nomear uma mulher para o primeiro escalão

» NAIRA TRINDADE
postado em 20/05/2016 00:00
 (foto: Beto Barata/PR)
(foto: Beto Barata/PR)


Após criar um imbróglio ao manter uma Esplanada sem representatividade feminina, o presidente em exercício, Michel Temer, sinalizou a criação de um ministério, no futuro, para nomear uma mulher para o primeiro escalão do governo. Em encontro ontem com cerca de 20 deputadas da bancada feminina da Câmara, no Palácio do Planalto, as congressistas cobraram também ;apoio; da base política de Temer para eleger uma mulher para a Presidência da Casa.

A ausência de mulheres no primeiro escalão acabou minimizada pelo presidente em exercício, que garantiu não haver retrocessos ou paralisações em políticas e iniciativas de gênero. Parte da bancada criticou o fato de a primeira presidente mulher do país ;ter se fechado ao diálogo com a bancada feminina da Câmara;. ;Nós tínhamos uma presidente, mas que nunca nos recebia e não estava disponível ao diálogo;, criticou a deputada federal Rosângela Gomes (PRB-RJ).

"Nós tínhamos uma presidente, mas que nunca nos
recebia e não estava disponível ao diálogo;

Rosângela Gomes (PRB-RJ), deputada


As parlamentares se queixaram de que a presidente afastada, Dilma Rousseff, não conversava com o Congresso. Articuladores políticos analisam que um dos motivos que corroboraram com a admissibilidade do impeachment da presidente se deu justamente pela ausência de diálogo entre os dois poderes: Legislativo com o Executivo. ;No futuro, assim que a economia der uma equilibrada, ele prometeu criar um ministério de política para mulheres, idosos, portadores de deficiência física;, disse Rosângela.

Crítica do governo Dilma Rousseff, Rosângela afirmou ao presidente em exercício que houve um retrocesso em não colocar mulheres à frente de ministérios. Para ;tentar corrigir; o impasse, as congressistas sugeriram a Temer que convença a base de 305 deputados a apoiar a indicação de uma deputada para a presidência. ;Temer disse que não tem condições de apoiar isso, mas que podemos encontrar um nome de consenso;, contou a deputada, após duas horas de reunião.

Assinaturas

A deputada federal Josi Nunes (PMDB-TO) informou que a bancada recolhe assinaturas de apoio para a indicação da presidente do PMDB Mulher, Fátima Pelaes, para a Secretaria de Política para as Mulheres, vinculada ao Ministério da Justiça. ;Temer deixou claro que haverá a formação de um novo ministério, um pouco mais à frente, para trabalhar nesta questão da mulher;, disse Josi.

Na quarta-feira, antes de definir por Marcelo Calero para a Secretaria Nacional de Cultura, Temer tentou emplacar uma mulher à frente da pasta. Pelo menos cinco mulheres foram sondadas a ocupar a vaga, como a consultora de projetos culturais e coordenadora de curso de pós-graduação da Fundação Getulio Vargas, Eliane Costa; a antropóloga Cláudia Leitão; a atriz Bruna Lombardi; a cantora Daniela Mercury; e a jornalista e apresentadora Marília Gabriela.

Sem sucesso, o presidente em exercício optou pelo diplomata, que estava à frente da Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro, que também presidiu o Comitê Rio 450. Calero é ligado ao prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB-RJ).


Apoio de
Regina Duarte

A atriz Regina Duarte tomou o caminho oposto da classe artística e declarou apoio a Michel Temer na decisão de incorporar o Ministério da Cultura ao da Educação. Em texto publicado no Instagram, ela disse que ;se o país está ;em coma;, não entendo a insistência no autoengano de achar que a Cultura pode se safar, sadia, do desconserto geral que nos abateu;. Para a atriz de 69 anos, ;na teoria (linda) a prática é outra (dolorida). Sou a favor da ideia de manter a Cultura internada no ;Hospitall; da Educação. Depois da possibilidade de ;alta;, vamos ver o que pode ser melhor pra ela e pra todos nós, brasileiros;.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação