Elas estão no ataque

Elas estão no ataque

Mulheres que lutam boxe dão um golpe de direita no preconceito, queimam calorias e aliviam o estresse

postado em 20/05/2016 00:00
 (foto: Cadu Gomes/CB/D.A Press - 16/8/10)
(foto: Cadu Gomes/CB/D.A Press - 16/8/10)





A procura do público feminino pelo boxe cresce cada vez mais emacademias do DF. O que começou com turmas pequenas e, às vezes, mistas, deu lugar a classes exclusivas. O esporte trabalha diferentes pontos do corpo e ainda traz perda de peso, ganho de força muscular e de agilidade, melhora a resistência física, aumenta a capacidade cardiorrespiratória e tonifica a musculatura.

Letícia Figueiredo, 20 anos, sempre praticou esporte, desde dança até musculação. Entretanto, prefere aulas mais dinâmicas a um exercício padrão, que acaba se tornando maçante. Ao conhecer o boxe, Letícia se adaptou rápido e conquistou resultados.

;Eu sempre gostei de lutas e de esportes de força. Vi que o boxe era uma das lutas mais ativas e me adaptei fácil por não ter tantos movimentos para a aprender e era mais ágil. Meu professor me incentivou muito também;, conta.

A lutadora garante que a fama de que o boxe estimula a violência é uma injustiça. ;Melhorou muito meu condicionamento físico, minhas resistência e agilidade. Mas o que eu mais gosto é que me relaxa. Naquele momento de treinar, eu tiro qualquer estresse do meu dia;, garante.

Vulnerabilidade
O professor Leonardo Siqueira, 31 anos, acredita que o crescimento do público feminino nas academias se deve, também, ao ganho de autoestima e para um tipo de defesa pessoal. ;O maior incentivo, com certeza, são as notícias de crimes contra a mulher. Elas querem mostrar que não estão em uma posição de vulnerabilidade;.

Em relação às aulas, Leonardo explica que não faz diferença entre mulheres e homens. ;Tenho alunas de 12 até 65 anos, e todas conseguem praticar dentro das limitações específicas, mas isso acontece tanto em turmas femininas quanto nas masculinas. Damos a mesma atenção à execução correta dos golpes, condicionamento físico, tudo para evitar lesões. Sempre buscamos essa grande força interior que existe nas mulheres;, afirma.

ONDE PRATICAR
Academia Fitclub
(Clube Asbac SCS; 3224-2337). Mensalidade a partir de R$ 104,90, com duas aulas semanais em plano anual.

Academia Unique
(SIG Q.8; lt. 2045; 3343-2002). Mensalidade a partir de R$ 490, com duas aulas semanais em plano anual.

Popó Fight Club
(SCN tc.3; cj.6; 2108-7279). Mensalidade a partir de R$ 140,30, com três aulas por semana em plano anual.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação