Morte no templo da diversão

Morte no templo da diversão

Aligátor arrasta menino de 2 anos em um complexo da Disney, na Flórida. Pai chegou a lutar com o animal e sofreu ferimentos, mas ele, a mulher e um salva-vidar não puderam salvar a criança

postado em 16/06/2016 00:00
 (foto: Gregg Newton/AFP)
(foto: Gregg Newton/AFP)





Policiais encontraram na tarde de ontem o corpo do menino de 2 anos que foi arrastado por um aligátor em um complexo hoteleiro da Disney, na Flórida. Identificada pelas autoridades locais como Lane Graves, moradora de Nebraska, a criança estava brincando nas margens de um lago artificial, na noite de terça-feira, quando foi atacada pelo animal. As buscas duraram mais de 15 horas e mobilizaram mais de 50 oficiais de segurança e meio ambiente e funcionários do resort, que usaram barcos, helicópteros e sondas para tentar localizar o menino.

O xerife de Orange County, Jerry Demings, informou que o corpo do menor encontrado intacto, a cerca de 10m do local onde brincava. Cinco aligátores tiveram os corpos abertos durante a busca e passarão por perícia para identificar se algum deles foi o responsável pela morte de Lane. Oficiais prometeram continuar procurando, caso o animal não esteja entre os capturados.

Lane, os pais e a irmã de 4 anos saíram na terça-feira à noite para uma sessão de cinema ao ar livre no complexo onde estavam hospedados. Por volta das 21h, o menino brincava na Seven Seas Lagoon, com os pés na água, quando foi atacado. O pai, Matthew Graves, chegou a lutar com o aligátor, na tentativa de abrir sua boca, e teve ferimentos leves nos braços. A mãe, Melissa, também entrou na água para tentar alcançar o filho. Um salva-vidas de plantão foi chamado pela família, mas não chegou a tempo de ajudá-los.

O centro de emergência local informou ter recebido um chamado às 21h16 e iniciado as buscas imediatamente. O Seven Seas Lagoon tem mais de 800 m; e a profundidadedo lago chega a 14m. Segundo os investigadores, a água estava turva, o que dificultou o processo. ;A autópsia precisa confirmar, mas não há dúvidas, em minha mente, de que a criança foi afogada pelo aligátor;, disse o xerife Demings. Horas antes de o corpo ser resgatado, a polícia havia descartado a possibilidade de encontrar o menino com vida. À imprensa, Demings contou que conversou com os pais da criança acompanhado por um padre católico. ;É claro que a família estava devastada.;

Ataques
Esse foi o primeiro ataque mortal de um aligátor dentro do parque temático. A vice-presidente da Walt Disney World Resort, Jacquee Wahler, disse que todos na empresa estavam ;devastados com esse trágico acidente;, e acrescentou que a equipe ;está ajudando a família e está fazendo tudo o que pode para auxiliar as autoridades;. O governador de Nebraska, Pete Ricketts, disse que ele e a mulher ;estão rezando; pelos Graves. ;Nenhuma família deveria viver tanto horror;, declarou.

Ataques de aligátores na região não são novidade, apesar de ;não serem comuns;, como reforçou o diretor excecutivo da Comissão de Conservação da Natureza e da Pesca da Flórida, Nick Wiley. No ano passado, o estado registrou a primeira morte causada por um ataque de aligátor em cerca de oito anos. A vítima foi o mergulhador James Okkerse, 61 anos, encontrado morto no norte de Orlando. Pouco depois, Matthew Riggins, 22, foi atacado enquanto fugia de policiais que o procuravam por assalto. Os dois animais foram perseguidos e executados.

A morte de Lane segue uma série de tragédias no estado da Flórida. Na madrugada de domingo, 49 pessoas foram assassinados em uma boate e, no dia anterior, a cantora Christina Grimmie, 20, foi morta a facadas após um show.


Para saber mais

Anatomia de predador

O aligátor é um réptil cujo focinho é mais curto e mais largo que o de crocodilos e jacarés. Existem dois gêneros de aligátor: o jacaré-americano e o chinês, também chamado de Yangtzé. O americano é encontrado apenas nos Estados Unidos, especialmente na região sudeste. Em geral, mede entre 3,4m e 4,6m e pode pesar até 450kg.

Não são habituais os ataques a seres humanos, apesar de cerca de uma dezena de casos serem registradas todos os anos. Estatísticas recolhidas no estado da Flórida mostram que, desde 1948, os anos com maior número de ataques mortais foram 2001 e 2006. Três pessoas morreram em cada um desses anos.

Os primos chineses são mais miúdos, com tamanho médio em torno de 1,5m, e sofrem séria ameaça de extinção. Os aligátores chineses estão na lista de proteção ambiental desde 1972.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação