Brasília-DF

Brasília-DF

por Denise Rothenburg » deniserothenburg.df@dabr.com.br
postado em 16/06/2016 00:00

A delação de Cunha
Enquanto a maioria dos políticos se volta para destrinchar a íntegra da delação do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, a cúpula do PMDB acompanha de perto todos os movimentos do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Na madrugada de ontem, depois de aprovado o parecer pela cassação de seu mandato, ele ficou até as duas da matina disparando recados aos companheiros de partido: ;Desçam para me ajudar, porque senão;;

O problema é que a ajuda desejada por Cunha, a permanência no Congresso e uma ;aliviada; por parte da Lava-Jato, independe dos atores que ele pretende arrastar para o cadafalso. O problema dele é que a Lava-Jato fisgou-lhe a mulher a e a filha. E, para evitar que elas terminem na cadeia, não lhe restará alternativa fora da delação premiada. Foi o envolvimento da família que levou Paulo Roberto Costa (ex-diretor da Petrobras) e o próprio Machado a partirem para a delação. Com Cunha, o tempo dirá.

Calcanhar de aquiles
A única vez que os políticos viram Eduardo Cunha com os olhos marejados e como queixo tremendo de ódio foi quando ele mencionou o envolvimento da mulher e da filha na Lava-Jato. Para defendê-las, ele será capaz de tudo.

Temer na tevê
O excesso de obras paradas recebido da presidente Dilma Rousseff estará em destaque no pronunciamento do presidente em exercício, Michel Temer, amanhã, no horário nobre.

EBC será mantida
O presidente em exercício, Michel Temer, decidiu manter a Empresa Brasileira de Comunicação (EBC). A companhia, porém, passará por uma reestruturação.

PF ganha primeiro round
O projeto de autonomia administrativa e financeira da Polícia Federal pulou o primeiro obstáculo ontem na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara (CCJ). O governo tentou retirar a proposta de pauta, mas o relatório terminou lido e houve um pedido de vistas coletivo. Nesse período de Polícia Federal em alta, ninguém quer brigar com os delegados.

Leniência com MP e TCU
O presidente do Instituto Não Aceito Corrupção, Roberto Liviano, ouviu ontem do ministro da Transparência, Torquato Jardim, que o Ministério Público deve sim participar de todos os acordos de leniência, e o Tribunal de Contas da União (TCU) precisa recuperar seus poderes nesse processo. O Projeto 3636, que tramita hoje na Câmara, retirou a participação do MP e reduziu os poderes do TCU.

Depois do Sérgio Machado.../ Renan Calheiros restringiu as visitas à sua casa em Brasília, em Maceió ou à casa de praia, em Barra de São Miguel. Nada de receber enroscados na Lava-Jato ou alguém que ele desconfie ter interesse em gravar suas conversas.

Público externo/ Enquanto Dilma Rousseff concedia entrevista a jornalistas estrangeiros, o presidente em exercício, Michel Temer, também mandava seu recado. Dos100 jornalistas que acompanharam a visita dele ao parque olímpico no Rio de Janeiro, 35 eram estrangeiros.

Por falar em Dilma.../ O PT tem reclamado que a Advocacia-Geral da União (AGU) faz ;corpo mole; na defesa das contas de 2015, em análise no Tribunal de Contas da União (TCU).


Liberou-se/ A sessão da Câmara já ia pela madrugada. Quando os líderes partidários encaminharam a votação, o deputado Wellington Prado (PMB-MG) (foto) foi ao microfone dizer que liberava a bancada. Foi uma gargalhada geral. Ele é o único representante do partido na Casa.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação