União contra carro a diesel

União contra carro a diesel

postado em 16/06/2016 00:00

O Projeto de Lei n;1013/2011, que libera a fabricação e a venda de carros de passeio a diesel no Brasil, pode ser aprovado a qualquer momento na Comissão Especial da Câmara dos Deputados, de onde segue direto para o Senado. A celeridade despertou a atenção de defensores do meio ambiente e representantes da cadeia de produção de etanol. A medida é considerada um retrocesso por eles, tanto por colocar o Brasil na contramão da tendência mundial de reduzir a poluição no setor de transportes quanto por provocar o aumento da importação de combustível.

Conforme Eduardo Leão, diretor executivo da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), que é contra o projeto, a tramitação disparou no Congresso. ;Houve um arranjo entre montadoras europeias, que estão com seus mercados reduzidos pelas pressões ambientais, o Sindipeças (sindicato da indústria de peças) e fornecedores da cadeia automotiva. São interesses comerciais;, alertou.

A presidente da Unica, Elizabeth Farina, disse que o argumento de quem é a favor é de que o consumidor deve ter opções. ;Existem 25 milhões de carros flex no país, uma tecnologia brasileira. Os índices de emissão de carbono permitidos no Brasil são mais altos do que os da Europa e dos EUA. Por isso, essa indústria poderá usar motores mais antigos no nosso mercado;, ressaltou.

O setor do etanol, que sofreu por seis anos com a falta de competitividade diante do represamento de preços da gasolina, teme novo revés. ;Também é uma questão de abastecimento, já que o Brasil é importador de derivados de petróleo, sobretudo diesel;, defendeu Leão. A cadeia de produção de cana-de-açúcar garante 1 milhão de empregos e está presente em 20% dos municípios brasileiros. (SK)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação