Restituição deve quitar débitos

Restituição deve quitar débitos

Receita libera R$ 2,65 bilhões a 1,6 milhão de contribuintes que pagaram mais do que deviam de Imposto de Renda. Para especialistas, é importante se livrar de dívidas caras - como cartão de crédito e cheque especial - e guardar recursos para eventualidades

postado em 16/06/2016 00:00

A Receita Federal depositou ontem o primeiro lote de restituição do Imposto de Renda 2016, além de devoluções residuais dos exercícios de 2008 a 2015. Ao todo, 1,6 milhão de contribuintes receberam um total de R$ 2,65 bilhões. Idosos, pessoas com alguma deficiência física ou mental, ou com doença grave tiveram prioridade. Para especialistas, é importante planejar o uso desse dinheiro, principalmente neste momento de crise econômica.

Na opinião do professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Luiz Antônio Leal, é preciso, antes mesmo de resgatar a quantia, saber que destino dará a ela, para evitar gastos supérfluos e não tão importantes. Caso a pessoa tenha dívidas, a recomendação é de que, antes de qualquer coisa, o recurso seja usado para saldar o débito.

;Sabemos que as dívidas no Brasil são muito caras. As pendências com taxas de juros mais altas, como o cartão de crédito e cheque especial devem ser prioridade. É aconselhável zerar essas pendências, se possível, tudo o que está devendo;, disse Roberto Piscitelli, professor de finanças públicas da Universidade de Brasília (UnB).

Aos contribuintes que estão com as contas em dia, o recomendado é guardar o valor recebido de restituição para necessidades futuras. A assistente administrativa Ana Catarine, 24 anos, conseguiu se livrar das dívidas que tinha e já pensou no destino do dinheiro que receberá. ;Como estou livre das contas, decidi guardar dinheiro na poupança para me prevenir de imprevistos;, contou.

Para Piscitelli, uma boa maneira de guardar dinheiro e garantir bom rendimento é investir em títulos públicos. O especialista considera uma alternativa atraente e segura. ;Os investimentos no Tesouro Direto têm rendimentos melhores do que a poupança. Aí vai do perfil da pessoa. Ela deve avaliar os títulos públicos disponíveis e adequar à necessidade: a longo ou curto prazo;, explicou.

Se a restituição estava prevista e não foi creditada, o contribuinte deve ir a qualquer agência do Banco do Brasil ou agendar o pagamento em conta-corrente ou poupança ligando para a Central de Atendimento por meio do telefone 4004-0007 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) ou 0800-729-0088 (exclusivo para pessoas com deficiência auditiva).

Dúvidas


Se houver qualquer tipo de dúvida sobre a situação da declaração, a pessoa pode consultar o Serviço Virtual de Atendimento (e-CAC) na página da Receita. Lá, é possível consultar o extrato da declaração e ver se há erros nos dados. Se for identificado algum problema, a Receita recomenda a entrega de uma declaração retificadora. As restituições de 2016 estão dividias em sete lotes. Os próximos pagamentos serão em 15 de julho, 15 de agosto, 15 de setembro, 17 de outubro, 16 de novembro e 15 de dezembro.

As devoluções, a partir desse primeiro lote, são pagas pelo critério de ordem de entrega. Para saber se teve a restituição liberada, o contribuinte deve acessar o site da Receita (idg.receita.fazenda.gov.br) ou ligar para o número 146.


  • Setor de serviços encolhe 4,6%

    O volume de serviços prestados no país diminuiu 4,6% em 12 meses. Em abril, houve queda de 4,5% ante o mesmo mês de 2015. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) esse é o 13; recuo consecutivo do setor e o maior desde o início da pesquisa, em 2012. O encolhimento foi geral, todos os segmentos ficaram no vermelho. A retração dos serviços prestados às famílias foi de 3%; de informação e comunicação, 3%; mas foi transporte, serviços auxiliares de transporte e correios que tiveram a maior queda, de 6,5%.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação