Caixa: ajuste é suspenso

Caixa: ajuste é suspenso

postado em 17/06/2016 00:00
 (foto: Evaristo Sá/AFP - 1/6/16)
(foto: Evaristo Sá/AFP - 1/6/16)


O presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, nomeado pelo governo interino de Michel Temer, suspendeu, pelo menos momentaneamente, a reestruturação de cargos e funções que foi iniciado em março, durante a gestão de Miriam Belchior. Occhi esclareceu para os funcionários a situação financeira do banco e garantiu que mudanças futuras no banco serão feitas de maneira cautelosa e com muito diálogo entre direção e funcionários.

O presidente ainda explicou que apesar do processo de reestruturação começado no edifício-sede, é necessário trabalhar de forma diferente para expandir a outras localidades do país. Em março deste ano, com a justificativa de que o ano de 2016 configurava-se ;mais difícil e desafiador;, a Caixa deu início a um amplo processo de reestruturação, que incluía demissão de pessoal, redução de gratificações e fechamentos de vagas em Brasília e nas demais regionais espalhadas por todo o país.

A medida adotada por Belchior previa reduzir custos e adequar o banco à realidade do mercado, que viu o crédito cair e a inadimplência aumentar. Uma das estratégias adotadas para reanimar a economia foi aumentar a oferta de crédito. A meta de instituição era liberar, pelo menos, R$ 16 bilhões além do previsto.

Em apenas uma semana, cerca de 600 gratificações de trabalhadores do edifício-sede foram extintas. Em Brasília, 570 pessoas foram realocadas e cortadas da função que exerciam, além do reforço do plano de apoio à aposentadoria (PAA), que já estava em andamento.

Os funcionários protestaram contra as mudanças anunciadas, pelo fato de a reestruturação, com extinção de cargos e funções, ter sido feita por meio de mensagens internas. Na ocasião, o sindicato afirmou total apoio aos funcionários e cogitou possibilidades de greve.

A Assessoria de Imprensa da Caixa Econômica afirmou que há um estudo permanente para avaliar a reestruturação de cargos e funções da instituição. Mas, a situação dos próximos meses é incerta. A Caixa conta com quadro de 97,5 mil empregados concursados, além de 15 mil estagiários e jovens aprendizes.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação