Curtas

Curtas

postado em 17/06/2016 00:00
; TRÁFICO
100 pés de
maconha
em casa

Uma denúncia anônima fez com que a Polícia Civil do DF prendesse um homem de 52 anos que mantinha uma plantação com mais de 100 pés de maconha em casa, no Gama. O suspeito também vendia sementes da planta para vários estados do país. Sergio Delvair da Costa foi detido, na manhã de ontem, na residência onde morava, na Quadra 8, Conjunto D, do Setor Sul. No local, também funcionava um laboratório onde a droga era preparada. ;Ele cortava, separava, envelopava e distribuía sementes pelo país por meio de uma cooperativa, denominada Cooperativa Cultivadores do Brasil;, explica o delegado-chefe da 20; DP (Gama), Francisco Antônio da Silva. O homem já tem passagem por uso de entorpecente. Segundo o delegado, o suspeito também usava as redes sociais para fazer apologia ao uso da maconha, o que pode agravar a pena. ;Ele utilizava as redes sociais para convencer crianças e adolescentes que era certo usar maconha.; Ele pode pegar até 30 anos de prisão.


; CRIME
Venda de
diplomas
falsos

Dois homens suspeitos de integrar uma quadrilha foram presos por falsificação de documento público e associação criminosa, na estação do Metrô, em Ceilândia Norte. De acordo com a Polícia Militar, a dupla confessou a comercialização de diplomas escolares por R$ 600, a unidade. Os policiais chegaram aos suspeitos após uma breve investigação. Em diligências aos locais utilizados para confeccionar e armazenar os certificados, em um escritório do Setor O, encontraram diversos documentos falsos, máquinas de cartão de crédito utilizadas para parcelamento dos diplomas, impressoras, computadores e diversas cópias de identidades. Os militares também conseguiram identificar o líder do esquema. Os envolvidos foram encaminhados para a 19; Delegacia de Polícia (Ceilândia Norte), responsável pela investigação.


; Internet
Mensagem
de doação de
leite é falsa

Uma mensagem divulgada na internet e por aplicativo de celular alerta que o Núcleo de Alergia do Hospital Universitário de Brasília (HUB) estava com latas de leite em pó, próximas do vencimento, para serem doadas. A unidade médica desmentiu a informação, que teve mais 1,5 mil compartilhamentos numa rede social. O leite descrito na mensagem é indicado para crianças recém-nascidas. A lata de 400g do produto chega a custar R$ 71. No texto, há um contato telefônico que, supostamente, auxiliaria na retirada do produto. Entretanto, o número não existe. A mensagem, por ser genérica, tem se espalhado por todo o país desde novembro do ano passado. Em vários hospitais universitários do país tem havido procura pela doação do item. A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), que administra o serviço, desmente o boato.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação