Investigação sobre Pasadena avança

Investigação sobre Pasadena avança

postado em 19/06/2016 00:00
O Tribunal de Contas da União (TCU) pretende ampliar o número de responsáveis por prejuízos na compra da refinaria de Pasadena, no Texas (EUA). A área técnica da corte concluiu que, além dos 14 ex-dirigentes da Petrobras já implicados, outros executivos tiveram participação no negócio, considerado um dos piores já feitos pela estatal. Delatores da Operação Lava-Jato relataram que houve pagamento de propina na transação.

A inclusão de novos nomes foi discutida nos últimos dias por auditores destacados para analisar a compra da refinaria. Ao menos mais quatro pessoas devem passar a responder às tomadas de contas especiais em curso, entre elas, o ex-gerente de Inteligência de Mercado da área Internacional Rafael Mauro Comino. Ele foi um dos alvos da 20; fase da Lava-Jato, deflagrada em novembro do ano passado, cujo objetivo foi aprofundar as investigações sobre o esquema de corrupção na aquisição da Pasadena.

Fora ex-dirigentes da Petrobras, o TCU também mira em representantes do grupo belga Astra, que vendeu os ativos para a estatal brasileira. O órgão de contas concluiu em 2014 que houve dano ao erário de US$ 792 milhões na compra de Pasadena, feita em duas etapas ; uma em 2006 e outra em 2012. Na ocasião, os auditores entenderam que 14 executivos foram responsáveis pelas perdas, determinando que eles respondessem às tomadas de contas ; processos que visam ao ressarcimento. Dez deles estão com bens bloqueados, incluindo o ex-presidente da Petrobras José Sergio Gabrielli e os ex-diretores Paulo Roberto Costa (Abastecimento), Nestor Cerveró (Internacional e Renato Duque (Serviços).



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação