O sétimo ato de uma decisão à parte

O sétimo ato de uma decisão à parte

Revanche da final da NBA chega ao último capítulo da série hoje, com LeBron James fortalecido por salvar o Cleveland e muitas desconfianças sobre Steph Curry. MVP foi desqualificado e já levou até toco do rival

VÍTOR DE MORAES
postado em 19/06/2016 00:00

Eleito o jogador mais valioso (MVP, em inglês), maestro de uma equipe com 73 vitórias na temporada regular e dono do recorde de bolas de três, Steph Curry estava prestes a polarizar a disputa com LeBron James nas finais da NBA. O Golden State Warriors abriu 3 x 1 na série melhor de sete e teve duas chances de fechar e conquistar o bicampeonato sobre o Cleveland Cavaliers. Esquecer, porém, que do outro lado está LeBron seria irresponsável. Hoje, o campeão será conhecido, a partir das 21h.

Os Cavs empataram em 3 x 3 e forçaram o jogo 7. Na noite de quinta-feira, na sexta partida, ;King; James fez 41 pontos e juntou-se a Michael Jordan e Shaquille O;Neal no grupo dos que marcaram 40 pontos ou mais em partidas seguidas na final da liga norte-americana. Aos 31 anos, James está irrefreável.

A disputa entre os dois empolga qualquer não fã de basquete. Na quinta, Curry tomou um belo toco do astro dos Cavs. Depois, foi desqualificado. Steph recebeu uma falta técnica por ter atirado o protetor bucal em um torcedor. LeBron e seus companheiros conseguiram tirar o MVP do sério.

Pior: ele e o técnico dos Warriors, Steve Kerr, foram multados em US$ 25 mil cada. O armador teve atitude considerada antidesportiva, e Kerr abusou das reclamações à arbitragem na entrevista coletiva pós-derrota por 115 x 101. Os dois, porém, estão liberados para o sétimo e decisivo jogo.

Até a esposa de Steph, Ayesha, entrou na discussão. Ela escreveu no Twitter. ;Perdi todo o respeito. Desculpa, isso é manipulado por dinheiro. Não ficarei em silêncio;. Ayesha, porém, apagou o tuíte pouco depois.

Até agora, James tem se sobressaído sobre o jogador mais valioso da temporada. Pontos, rebotes, assistências, LeBron tem sido essencial para a campanha do Cleveland nesta final. Brilhar quando se tem Kyrie Irving ao lado é para poucos. Para um, na verdade. Nas finais, o ala está com médias de 30,2 pontos, 11,3 rebotes e 8,5 assistências. Curry, nas seis partidas da série decisiva, tem 23,5 pontos, quatro assistências e 4,8 rebotes.

Prontos?
Tudo isso era inimaginável em março. Depois de uma derrota para o Memphis Grizzlies, durante a temporada regular, LeBron demonstrou toda sua incredulidade. ;Eu posso me sentar aqui e dizer que nós temos um time pronto para começar os play-offs amanhã, mas nós não estamos;, declarou.

A envergadura de LeBron (2,10m) comporta toda uma cidade. Sem títulos esportivos há 52 anos, Cleveland está toda nas costas do ala. ;Poucas pessoas na história do esporte disseram ;todos subam em minhas costas;;, admitiu o ala dos Cavs Richard Jefferson. ;É uma pressão com a qual eu sei que não conseguiria lidar;, continuou.

Por isso, o possível terceiro título de James daria até um passe livre para o ala, se assim desejar, deixar Cleveland novamente. Há boatos de sua volta para o Miami Heat. Na última vez em que isso aconteceu, em 2010, torcedores se irritaram tanto com a saída do jogador que queimaram camisas com seu nome nas costas. Agora, não haveria motivo para tal comportamento.

O problema é que, quando acertou sua volta aos Cavs, em 2014, ele deu a entender que se aposentaria por lá. ;Sempre acreditei que voltaria a Cleveland para encerrar minha carreira;, escreveu, à época.

LeBron derrubou um técnico. O bate-boca com David Blatt era constante e, por vezes, público. O ala meneava a cabeça durante instruções, em quadra, de Blatt. Ele chegou a fazer substituições. A importância e o moral interno de James são tão impressionantes que Blatt foi demitido. A atitude do jogador foi criticada. Mas, bem ou mal, os Cavs estão na final. Coincidência ou não, LeBron terminou com a razão.

Irreconhecível
Na história da NBA, 32 equipes vivenciaram a experiência de sair atrás por 3 x 1 na série final. Nenhuma delas, porém, conseguiu reverter, e só três levaram a decisão para o jogo 7. LeBron James e os coadjuvantes podem conseguir esse ineditismo hoje. Quem assistir ao duelo presenciará uma das grandes decisões das últimas temporadas.

Do outro lado, Stephen Curry nunca pareceu tão mortal, tão comum, ao deixar a quadra, no último quarto do jogo 6, desqualificado. Está o armador pronto para a noite de sua vida? Difícil responder, mas a pressão defensiva do Cleveland Cavaliers está a postos para forçar mais uma partida do MVP aquém da expectativa.

Uma derrota nesta noite pode atrapalhar os planos de Curry de figurar entre os maiores da história. Críticas poderão minimizá-lo, mesmo com o recente histórico do jogador que ressuscitou os Warriors.

Não só ressuscitou, como foi um dos responsáveis por levar a franquia de Oakland ao museu da liga norte-americana. Na temporada regular, o Golden State venceu 73 vezes. O número é maior do que o histórico Chicago Bulls de 1995/1996, com Michael Jordan e companhia. O feito conseguiu dividir atenções com a despedida de Kobe Bryant, na mesma noite.
Steph prometeu estar bem para hoje. Ele estará em casa, diante de milhares de fãs ávidos por uma vitória de seu xodó sobre a maior ameaça ao reinado do armador. Os Warriors podem confirmar o segundo título na Oracle Arena. O fio entre a ratificação da glória do armador e a queda de um mito é frágil.


A série
Golden State 104 x 89 Cleveland
Golden State 110 x 77 leveland
Cleveland 120 x 90 Golden State
Cleveland 97 x 108 Golden State
Golden State 97 x 112 Cleveland
Cleveland 115 x 101 Golden State
Golden State x Cleveland


LeBron na série final
30,2 pontos
11,3 rebotes
8,5 assistências


Curry na série final
23,5 pontos
4,8 rebotes
4,0 assistências


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação