Festa para a cinquentona 312

Festa para a cinquentona 312

Histórias de meio século da quadra da Asa Norte são festejadas por moradores e antigos habitantes. Famílias inteiras vão à comemoração para encontrar colegas de longa data

» JULIANA CONTAIFER
postado em 19/06/2016 00:00
 (foto: Rodrigo Nunes/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Rodrigo Nunes/Esp. CB/D.A Press)

Na tarde de ontem, a Quadra 312 Norte, a primeira a ser inaugurada na Asa Norte, comemorou seus 50 anos. Moradores e ex-moradores se organizaram e, em parceria com o coletivo Som+Ar, armaram uma festa no gramado que divide com a vizinha 311. No local, cerca de mil pessoas aproveitaram o Sol ao som dos DJs Pezão, Tatum, The Miguelitos, Fgon, Gui Rabelo e Fibo, além da batucada do bloco Agô.


;Somos um grupo de amigos que cresceu aqui. Alguns ainda moram na quadra e fazemos encontros anuais. Este ano, construímos uma parceria com a Administração de Brasília, os síndicos, o Conselho Comunitário da Asa Norte e com o Som Ar para comemorar o cinquentenário da Superquadra;, explica o ex-morador e um dos organizadores do evento Carlos César, 55 anos. Teve até bolo e parabéns para a quadra mais antiga da Asa Norte.


O espaço contava com segurança, food trucks, brinquedos infláveis para as crianças, uma pequena feira e um varal de fotos antigas que contavam a história da 312 Norte. Em uma das fotos, estava a professora Nur Sarkkis, 81 anos, com sua turma. A aposentada foi professora na escola da quadra por 26 anos e se mudou para um dos prédios em 1965. ;Meu marido era professor de tênis no Clube do Congresso e tinha muitos amigos. Eles conseguiram alojamento para nós em um hotel temporário na Asa Sul, com outras famílias na mesma situação, enquanto a quadra não era inaugurada;, lembra.


;Dei aula para as crianças ali mesmo. Quando abriram os prédios, pude escolher o apartamento que eu queria. Como não tinha elevador, optei por um no terceiro andar, virado para a rua. Estou lá até hoje;, conta Nur. A professora aposentada lembra que levava os alunos pequenos para conhecer a quadra a pé e os moradores ficavam todos na janela olhando o passeio das crianças. Quando se mudou, conheceu muita gente e os novos vizinhos logo se tornaram amigos, sempre muito unidos. Todo mundo se ajudava, e continuam assim até hoje, mesmo com os que já se mudaram para outras quadras. A filha da aposentada, Rosana Sarkkis, 50, também mora na quadra desde que nasceu. Tem um apartamento em outro lugar, mas passa mais tempo na casa da mãe do que lá. E a neta Ivy Sarkkis, 12, mora com a avó mesmo, provando que o amor pela 312 Norte é um caso de família.





Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação