Perseguição policial faz mais uma vítima

Perseguição policial faz mais uma vítima

postado em 29/06/2016 00:00
Mais um caso de violência policial com morte foi registrado em São Paulo. Desta vez, policiais militares perseguiram e mataram com um tiro na cabeça um rapaz de 24 anos na rua Guamiranga, Vila Prudente, na Zona Leste da cidade, na madrugada de segunda-feira. De acordo com os PMs, o rapaz não teria obedecido a uma ordem de parar na avenida Presidente Wilson, por volta das 3h, quando teve início a perseguição policial. A ação foi acompanhada pela Guarda Civil Municipal (GCM) de São Caetano do Sul. O jovem foi encaminhado a um hospital da região, mas não resistiu aos ferimentos.

As forças de segurança de São Paulo mataram 191 crianças e adolescentes de até 16 anos entre 2010 e este ano, em supostos casos de confronto, segundo levantamento feito pela Ouvidoria das Polícias do Estado de São Paulo, o que equivale a dois casos por mês. Dez dessas mortes foram de crianças com menos de 14 anos. No mesmo período, a Polícia Militar matou 2.788 pessoas em supostos confrontos.

;Esses casos já vinham acontecendo há um tempo, mas passaram a despertar nossa atenção com mais clareza após a morte do menino de 10 anos, na Vila Andrade;, disse o ouvidor, Julio César Nascimento. Segundo ele, todos esses casos estão sendo acompanhados pela Ouvidoria: uma das vítimas tinha 11 anos; outra, 13 anos; oito delas tinham 14 anos e, no total, 47 tinham 15 anos. As demais 134 vítimas tinham 16 anos. Para o ouvidor, uma das causas desse número de mortes seria a sensação, por parte dos policiais, de que adolescentes infratores ficariam impunes caso fossem capturados pelos agentes após as perseguições.

Só na zona leste da capital, região onde o menino de 11 anos foi morto por um guarda-civil municipal na sexta-feira passada, outros dois adolescentes foram assassinados após serem perseguidos por policiais militares somente nos últimos 20 dias.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação