>> Sr. Redator

>> Sr. Redator

Cartas ao Sr. Redator devem ter no máximo 10 linhas e incluir nome e endereço completo, fotocópia de identidade e telefone para contato. E-mail: sredat.df@dabr.com.br

postado em 29/06/2016 00:00
Saltitante

Senador é arrancado do mandato em pleno exercício sob acusação de tentar atrapalhar investigações. Enquanto isso, o Supremo Tribunal Federal acumula denúncias, embasadas em robustas provas, contra o deputado Eduardo Cunha, que segue solto e saltitante, a ponto de interferir no processo de escolha de quem comandará a Câmara em seu lugar. Tudo é feito para salvá-lo da cassação do mandato. A mulher e a filha do parlamentar também estão soltas, como se não tivessem cometido nenhum ilícito, ou seja, gastar milhões de propina com mercadorias de luxo pode, se forem familiares de parlamentares. O que justifica a morosidade do Judiciário nesse caso?
; Filipo Guckeret,
Asa Norte

Lula

Impressionante como a prisão de Lula está demorando. Torço para que Sérgio Moro análise cautelosamente para não cometa equívocos. A prisão de Paulo Bernardo, ex-ministro do governo do PT, é uma das melhores coisas que aconteceu nos últimos tempos em razão, especialmente, de ter roubado meu dinheiro por meio de empréstimos que fiz em folha de pagamento. Gostei mais ainda porque sua mulher, senadora Glaisi Hoffmann, baixou o facho na Comissão do Impeachment. Quero saber se a senadora vai receber salário pelos dias que foi acompanhar o marido na prisão. Espero que não receba.
; José Monte Aragão,
Sobradinho

Lava-Jato

O artigo ;Lava-Jato não pode parar;, Visão do Correio (27/6), merece difusão por todos os rincões do país, mormente onde habitam brasileiros desinformados, vulneráveis ao canto da sereia de candidatos inescrupulosos e aproveitadores da boa-fé do cidadão sofrido. Elucidativa e em linguagem clara, a matéria põe a nu as causas da atual crise econômica e a existência de um juiz (dr. Sérgio Moro), digno da admiração e aplauso de toda a nação.
; Luiz Filipe Medeiros,
Asa Norte

Delações

Até parece que a Suíça assinou contrato de delação premiada ao abrir as contas dos ladrões do dinheiro público do povo brasileiro em seus paradisíacos bancos. Até a impoluta presidente Dilma entra na dança com a revelação de possível conta milionária a ser comprovada. Cuidado, porém, com o andor que o santo é de barro. Existe um aforismo latino que diz: Cave a signati ,cuidado com os marcados. Quem mais marcado do que os covardes delatores que usam do instrumento da delação premiada somente para se livrarem de penas maiores? A Suíça deve muito ao mundo por ocultar em seus bancos o arrancado e apodrecido dinheiro produto do suado trabalho de cidadãos de bem, pelo mundo afora. Entre verdades, poderão semear mentiras que deverão ser separadas como o trigo do joio na hora da colheita.
; Elizio Nilo Caliman,
Lago Norte

Índios

É tanto escândalo que a imprensa colocou à margem do noticiário questões importantes para a sociedade de um país plural, como é o nosso. O desprezo do então governo petista pelas questões indígenas deixou a Fundação Nacional à míngua. A atual administração provisória de Michel Temer está reduzindo a pó de nitrato os povos originários do país. Semana passada, os servidores da Funai lançaram manifesto em que denunciam os profundos cortes no orçamento do órgão, levando-o da falência à miséria extrema, tirando-lhe toada a capacidade de manter as unidades que tratam diretamente com as comunidades indígenas. Hoje, os territórios enfrentam ataques de inescrupulosos grupos do agronegócio e da mineração, o que ameaça a integridade de homens, mulheres, velhos, jovens e crianças indígenas. Até quando os setores progressistas da sociedade ficarão inertes ao genocídio em marcha?
; Zulmira Quinté,
Park Way

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação