Petição on-line

Petição on-line

postado em 29/06/2016 00:00
 (foto: Rodrigo Nunes/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Rodrigo Nunes/Esp. CB/D.A Press)

Além da expectativa na Câmara Legislativa, os debates a respeito da regulamentação do Uber gerou movimentação na internet. Ontem, os usuários do aplicativo receberam via e-mail um pedido para assinar uma petição on-line a favor do serviço de transporte por aplicativo. A empresa pede o fim das emendas ao Projeto de Lei n; 777/2015, que limitam o número de veículos na plataforma. O comunicado reforça a tese de que o cliente ;perde com menos oferta de carros, maior tempo de espera e preços mais altos;. Até o começo da noite, mais de 30 mil haviam assinado a manifestação.

Usuária do aplicativo desde a chegada em Brasília, Talita Lima Lisboa, 23 anos, fez questão de assinar o documento virtual. A estudante de direito usa o serviço diariamente para se locomover para o trabalho ou a faculdade. Na opinião dela, limitar as concessões significaria um retrocesso. ;Sou contra as emendas pelo fato de mexerem na autonomia do serviço. Querer limitar o número de licenças também significa tirar o meu poder de escolha. Isso impossibilitaria outras empresas de atuarem por aqui;, ressalta.

Ana Carolina Vieira, 22, usa o aplicativo com frequência para lazer. ;Sou contra a limitação, pois o serviço pode ficar mais caro, com menos motoristas;, avalia. A aluna de biologia vê a chegada do aplicativo à capital como um novo meio de transporte. ;Eu nunca gostei de andar de táxi. O Uber tem o diferencial de, pela ferramenta, saber os dados do carro e dos motoristas, sem contar a possibilidade de avaliação.;

Em Brasília, há cerca de 5 mil motoristas dirigindo para o Uber, sendo 1,5 mil no Uber Black e 3,5 mil na modalidade X. A empresa fez a convocação dos usuários para petição defendendo que a limitação acabaria com o sistema. ;A Emenda 65 significa a retirada de circulação daqueles motoristas que já estão atuando no aplicativo. Com isso, temos menos carros, o que gera um maior tempo de espera;, detalha Fábio Sabba, representante da Uber.

Além da limitação, a empresa reforçou com os usuários outras duas emendas. A primeira, a 62, determina que somente uma pessoa poderá dirigir um determinado carro, sem revezamento. A 64 concede privilégio aos taxistas, determinando que eles tenham prioridade sobre qualquer outro profissional ao ingressar nas plataformas. Segundo a empresa, na prática, com a limitação do número de concessões, o uso da tecnologia para prestadores de serviço de transporte individual seria exclusivo de taxistas. ;Levantamos os pontos que tornam o sistema ineficiente. Nas outras cidades em que o serviço foi regulamentado, não há esses pontos. Queremos um sistema que seja o mais eficiente possível para ser uma opção de mobilidade para a população;, reforça Sabba.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação