Bach: "Serão Jogos a la Brasil"

Bach: "Serão Jogos a la Brasil"

postado em 01/08/2016 00:00
 (foto: Johannes Eisele/AFP)
(foto: Johannes Eisele/AFP)


O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, deixou claro ontem: a edição do Rio será um evento ;a la Brasil;. Ele admitiu que a competição ainda tem ;desafios de fluxo de caixa;. A organização continua sem conseguir fechar s contas e está em busca de R$ 250 milhões. ;Temos dois pontos. Fomos informados ontem (sábado) pelo Comitê Rio-2016 de que eles ainda estão trabalhando por um orçamento equilibrado;, disse o dirigente.

Bach tentou dar um tom positivo ao fato. ;As coisas estão se arrumando;, disse. ;Teremos sempre alguns desafios de último minuto. Mas, como vimos nos últimos meses sobre como os brasileiros lidam com essas questões, temos mais confiança do que nunca. Teremos Jogos ;a la Brasil;;, afirmou. Questionado sobre o que significaria ;a la Brasil;, ele apenas disse: ;Com paixão;.

O dirigente admitiu ter ficado preocupado com as informações sobre a Vila Olímpica. ;Por isso, decidi ir diretamente para a vila, saindo do aeroporto;, reconheceu. ;Ao entrar e falar com atletas, dava para sentir que havia uma atitude positiva e um espírito para ajudar. ;

Festa nacional

Também ontem, uma cerimônia de recepção oficializou as boas-vindas aos brasileiros na vila. Com a presença do prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), de dirigentes e de cerca de 70 membros da delegação nacional, a festa teve um pot-pourri de músicas nacionais, dança e animação.

A recepção ainda contou com hino à capela e cantoria de ;eu sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor;. As mascotes Ginga, do Time Brasil, e Vinícius também entraram na roda de dança.

Austrália, de novo

Foco de todas as atenções na Vila Olímpica, a delegação australiana é alvo de mais uma polêmica. Ontem, a chefe da missão do país, Kitty Chiller, informou que um laptop e uniformes do time foram furtados dos quartos enquanto o prédio era evacuado em um princípio de incêndio, na sexta-feira. Em coletiva de imprensa, Chiller indicou que o caso foi registrado na polícia da vila e que a delegação passou a sugerir que todos os atletas tranquem com chaves seus quartos e não deixem itens pessoais expostos. ;São medidas
de segurança que precisamos tomar;, disse.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação