Colisão mata pai e duas crianças em Brazlândia

Colisão mata pai e duas crianças em Brazlândia

Acidente envolvendo três veículos e o carro em que estavam os familiares, uma mulher e uma bebê de 9 meses pode ter sido causado por ultrapassagem em local proibido. Desde sábado, outras quatro pessoas perderam a vida em vias do Distrito Federal

OTÁVIO AUGUSTO
postado em 19/09/2016 00:00
 (foto: Fotos: Carlos Vieira/CB/D.A Press)
(foto: Fotos: Carlos Vieira/CB/D.A Press)

A toalha verde-musgo usada no socorro da criança de 4 anos ainda estava estendida no chão, próxima ao cenário da tragédia. Para chegar até ao local do grave acidente, no km2 da DF-451 ; que liga Brazlândia a Ceilândia ;, era preciso caminhar entre fragmentos dos veículos, materiais médicos utilizados no atendimento às vítimas e em muitos estilhaços de vidro. Ao todo, três pessoas morreram, entre elas, outro menino, de 7 anos, e um homem, de 40. Quatro carros e oito pessoas se envolveram no desastre. Uma bebê de 9 meses teve uma fratura no braço e está internada.

O barulho das águas turvas do Ribeirão das Pedras era a sinfonia ouvida após a colisão, causada por uma combinação fatal: alta velocidade, ultrapassagem em lugar proibido e, possivelmente, a falta do cinto de segurança. Um Chevette vermelho tentou ultrapassar quatro carros em uma descida íngreme da pista, no sentido da Fundação Assistencial dos Servidores do Incra (Fassincra). No lado contrário, uma caminhonete seguia rumo a Ceilândia. Sem alternativa, o condutor tentou voltar à faixa da direita. Não conseguiu. Bateu em um Chery branco e um Gol prata, rodou e recebeu o impacto violento de um Clio preto.

No banco de trás do Chevette, haviam três crianças de uma mesma família. Após o acidente, no amontoado de ferro retorcido que sobrou do carro, era possível ver um chinelo infantil. No banco do carona, uma calça jeans feminina, um par de sandálias e o que restou de um pacote de bolachas de chocolate. A tragédia ocorreu pouco depois do almoço, por volta das 13h50, segundo o Corpo de Bombeiros.

Próximo ao local, funciona um pesque-pague onde a desempregada Emily Ester Costa, 25, e a técnica em saúde bucal Valéria Pereira, 33, almoçariam. O veículo em que elas estavam se envolveu no acidente. Terminou com o retrovisor arrancado e a lataria arranhada. ;Tudo aconteceu muito rápido. Ali (na descida), não havia condições de fazer a manobra;, contou Emily, ainda assustada. ;Essas imagens vão demorar a sair da cabeça;, completou Valéria.

O treinador de futebol Chiquinho Macedo, 35, se salvou graças ao air-bag. O carro dele, o Clio, colidiu com o Chevette. Apesar da pancada, ele teve apenas ferimentos leves na mão e no nariz. ;Passar por um acidente desse e sair quase ileso é muita sorte. Eu estava sozinho e o air-bag que me salvou;, afirmou o morador do Riacho Fundo, ainda atordoado. Ele seguia para casa após assistir a uma partida de futebol de categorias de base. O casal do Gol prata se recuperava do susto e preferiu não dar declarações.

O calor da tarde permaneceu até o fim do trabalho dos paramédicos. Em volta, apenas o cerrado queimado. ;Aqui, foi feita uma ultrapassagem em faixa contínua, o que resultou na morte de duas crianças;, ponderou o sargento da PM Rogério Targino. Sete viaturas ; entre veículos do Corpo de Bombeiros, do Serviço de Atendimento de Urgência Móvel (Samu), da Polícia Militar e do Batalhão de Trânsito ; permaneceram no local. Os dois sentidos da DF-541 ficaram interditados por mais de duas horas. ;Essa é uma descida muito forte dos dois lados (da via). Isso deixa a manobra arriscada;, informou o 1; tenente Ronaldo Reis, um dos bombeiros que esteve no local.

Socorro

O motorista do Chevette, de 40 anos, pai das crianças, chegou a ser levado ao Hospital Regional de Ceilândia (HRC), mas morreu. Ele teve uma parada cardiorrespiratória após dar entrada à unidade de saúde, segundo informações do Samu. Equipes médicas tentaram reanimar o paciente, sem sucesso. A outra passageira e a bebê de 9 meses receberam atendimento no local e seguiram em estado grave para o HRC.

O Correio esteve na unidade médica, mas a chefia do plantão se recusou a passar informações do quadro clínico. A Secretaria de Saúde também negou qualquer esclarecimento sobre o caso. Segundo a pasta, isso só é feito quando em ;casos de grande comoção;. ;Cumprindo diversas determinações de órgãos externos, e amparada por lei, não podemos fornecer estado de saúde, ou informações de pacientes internados na rede hospitalar; ressaltou, em nota. Até o fechamento desta edição as vítimas ainda não haviam sido identificadas. Após a perícia no local, a Polícia Civil iniciou as investigações.



Para saber mais
Infração grave
O condutor que é flagrado em ultrapassagem em faixa contínua é autuado com multa de R$ 957,70, além de sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). O mesmo valor é pago pelo motorista que ultrapassa pela contramão. Se houver reincidência em até 12 meses, a cobrança é em dobro, com a multa de R$ 1.915,40, e suspensão da carteira. Além da multa, o condutor perde a carteira, segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Os motoristas que ultrapassam pelo acostamento ou realizam as manobras em pontos proibidos correm o risco de ter que pagar multa de quase R$ 1 mil. Em caso de reincidência, o valor dobra e a carteira é suspensa.





Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação