Domingo é dia de parque

Domingo é dia de parque

Festival leva pais, filhos, e até os pets, para desfrutar de um agradável dia em família. O evento teve atração para todas as idades

Ailim Cabral
postado em 19/09/2016 00:00
 (foto: Fotos: Minervino Junior/CB/D.A Press
)
(foto: Fotos: Minervino Junior/CB/D.A Press )

Enquanto Theo, 2 anos, corre empolgado atrás das bolinhas de sabão, os pais, Márcio Lopes Campolino, 31, e Louana de Pires Campolino, 30, curtem as sombras dos pinheiros do Parque da Cidade. A cadelinha maltês, Lua, 6 anos, aproveita o passeio em família e corre na grama. Assim, o professor e a psicóloga definiram o Festival Família Brasília como um programa perfeito para eles.

Com uma proposta de agregar, o evento é voltado para a reunião das famílias. Pensando nisso, liberou, inclusive, a entrada dos bichos e forneceu até mesmo um ;open bar de água; para os animais. ;Quando vi, soube que não podia perder a oportunidade. Muitas vezes, nós vamos sair com o Theo e ele fica triste porque a Lua não pode ir. É uma festa para a família inteira mesmo!”, elogiou Louana.

Uma das idealizadoras do projeto, Luciana Fabrino, ressalta o valor da ligação entre pais, filhos, irmãos e da família como um todo e afirma que o festival vem com a filosofia de conectar as crianças à natureza e às atividades ao ar livre.

A primeira edição do festival aconteceu no domingo, no estacionamento 4 do Parque da Cidade. A programação incluiu atividades para crianças de todas as idades, além de oficinas para os pais curtirem com os filhos. Das 9h às 16h, as famílias puderam aproveitar teatros, participar de contação de histórias, de apresentações musicais; além de jogar minigolfe, pingue-pongue, xadrez gigante, e curtir uma série de outras atividades planejadas pelos parceiros da Dubem Entretenimento, responsável pela festa.

Em meio a uma aula de dança entre mamães e bebês, o administrador Rogério Barbosa, 38, balançava-se timidamente com Lucas Almeida, de apenas 2 meses, nos braços. Alguns minutos depois, deixou a vergonha de lado e curtiu o momento. ;A minha mulher ia dançar com ele, mas estava com minha filha mais velha em outra atividade. Fiquei assistindo. Vi os bebês tranquilos e quis me sentir envolvido também. O Lucas gostou tanto que acabou dormindo;, contou o pai coruja.

Na praça de alimentação, nomes conhecidos da cidade como Mara Alcamim e Maria Amélia vendiam guloseimas. Enquanto comiam um espetinho de carne, os irmãos Caio, 12, e Miguel Borges, 5, esperavam o início de uma peça. O momento preferido do mais velho foi o show de mágica. ;Eu já conhecia esse mágico, o tio André. Ele vai a várias festas de aniversário e gostei de ver os truques de novo;, avaliou. Já Miguel ficou mais interessado na horta e em ver as galinhas no espaço Agroecologia. A mãe, a terapeuta Adriana Borges, 45, contou que o pequeno queria levar as alfaces para fazer uma salada em casa.

As amigas Fernanda Cabral, 36, e Roberta Alves, 33, levaram as filhas e também aprovaram a ideia. ;Tomara que venham mais edições. Foi muito legal;, torceu Fernanda. As servidoras públicas até tentaram escapar, mas acabaram sujas de tinta com as respectivas filhas Rafaela Cabral, 2, e Giovanna Alves, 2. ;A possibilidade de sair do apartamento para elas brincarem mais livres é muito boa. Além de ser saudável para a gente também;, completou Roberta.

Os espaços eram protegidos por grades e contavam com o apoio de diversos monitores, garantindo, assim, mais segurança e tranquilidade para as famílias, além de mais liberdade para a correria infantil. Para participar do evento, além de pagar ingressos de R$ 20 (meia) e R$ 40 (inteira), os familiares precisavam identificar as crianças na bilheteria, por precaução. A ideia é fazer outras edições do festival, mas a próxima data ainda não foi definida.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação