Medo e fuga na Flórida

Medo e fuga na Flórida

Depois de matar mais de 300 pessoas no Caribe, furacão Matthew deve causar destruição no estado norte-americano, durante o dia de hoje. Obama decreta estado de emergência, e governador pede à população que deixe região. Moradores relatam apreensão

» RODRIGO CRAVEIRO
postado em 07/10/2016 00:00
 (foto: Hector Retamal/AFP)
(foto: Hector Retamal/AFP)

O alerta feito pelo governador da Flórida, Rick Scott, dava a dimensão da catástrofe que se arrastava pelo Golfo do México em direção ao estado norte-americano. ;Não vá surfar. Não vá à praia. Essa tempestade matará você. Isso tudo são projeções. Pode ser muito pior. O tempo está se acabando. Nós estamos nos preparando para o pior;, declarou. ;Vocês precisam fugir. Saiam. Saiam;, insistiu. Até o fechamento desta edição, pelo menos 1,5 milhão de moradores da Flórida e 1 milhão da Carolina do Sul tinham abandonado as áreas mais vulneráveis. No fim da tarde de ontem, Matthew se movia a 22km/h, estava a 160km de West Palm Beach, mantinha ventos de 220km/h e era considerado um furacão de categoria 4 na escala Saffir-Simpson (que vai de 1 a 5).

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, decretou estado de emergência na Flórida e ordenou o envio de ajuda federal às regiões afetadas pela tempestade. A previsão era de que Matthew tocasse o solo norte-americano na madrugada de hoje. ;É o furacão mais forte que atinge esta área em décadas;, advertiu o Centro Nacional de Furacões (NHC, pela sigla em inglês). No início da noite, Matthew desviou a trajetória em direção ao norte da Flórida e poderia atingir com força a cidade de West Palm Beach. Os parques temáticos do Walt Disney World, o Disney Springs, os parques aquáticos e o ESPN Wide World of Sports Complex foram fechados e somente devem ser reabertos hoje. Ao menos 10 mil residências do condado de Miami-Dade estavam sem energia elétrica ontem, mas as autoridades esperavam que o blecaute afetasse 2,5 milhões de pessoas.

Durante sua passagem pelo Caribe, Matthew deixou um rastro de destruição. Pelo menos 303 pessoas morreram ; 299 no Haiti e 4 na República Dominicana. Na manhã de ontem, o furacão avançou pelo arquipélago das Bahamas, provocando enchentes e danos materiais. ;Eu vi muitas telhas voando e telhados sendo arrancados. Há muitas inundações nas áreas ao sul de Nassau. A Agência Nacional de Gerenciamento de Emergência está engajada em remover as pessoas, devido à possibilidade de tempestades;, contou ao Correio Amajahl Knowles, 23 anos, repórter da capital das Bahamas.


Por sua vez, Timothy Bain relatou à reportagem que Matthew golpeou Nassau por cerca de cinco horas. ;Começou às 10h (11h em Brasília) e o tempo somente se acalmou às 15h. Eu vi as árvores balançando. Havia rumores sobre tempestades vindas do oceano. O vento uivava e fazia as persianas metálicas gemer;, afirmou. Timothy e a família armarzenaram água, reforçaram as janelas e compraram baterias. ;É irritante, porque voê nada pode fazer, a não ser esperar, rezar e esperar que sua casa aguente.;

Em entrevista ao Correio, o meteorologista Phil Klotzbach, do Departamento de Ciência Atmosférica da Universidade do Estado do Colorado, declarou que Matthew provavelmente causará ;danos significativos ao longo da costa leste da Flórida, se estendendo à Geórgia e à Carolina do Sul;. ;O impacto primário inclui altos níveis de ondas causadas pela tempestade, que podem inundar áreas costeiras baixas, além de chuvas pesadas e ventos nocivos;, explicou. Segundo ele, o furacão permanecerá numa trajetória paralela à Flórida durante todo o dia de hoje. ;Há alguma incerteza sobre se o centro da tempestade tocará a terra. Mesmo que ele fique próximo à costa, os impactos serão muito importantes.; Segundo Klotzbach, é impossível prever, no começo de uma temporada de furacões, se uma tempestade como o Matthew vai se desenvolver e provocar danos consideráveis.

Morador de West Palm Beach, na Flórida, o empresário Javaris Neely, 26 anos, disse à reportagem que, na noite de ontem, a cidade enfrentava ventos muito fortes. ;Eu sempre vivi na Flórida, nós sempre experimentamos poucos furacões antes. Eu deixei minha casa e fui para a residência de minha mãe. Colocamos persianas nas janelas e carregamos a geladeira de comida;, contou.


Haiti
Somente no Haiti, Matthew matou pelo menos 261 pessoas, destruiu 3.200 casas, desabrigou 15 mil moradores, arruinou plantações e afogou animais. No município de Roche-à-Bateau (sul), o número de mortos chegava a 50. Em Jérémie, capital do departamento meridional de Grande Anse, de 30 mil habitantes, 80% das construções foram arrasadas. A Organização Panamericana de Saúde teme um novo surto de cólera, após o surgimento de oito casos da doença.


"Não vá surfar. Não vá à praia. Essa tempestade matará você;
Rick Scott, governador da Flórida


Nicole ;nasce; no sul das Bermudas
A tempestade tropical Nicole se transformou em furacão ontem, anunciou o Centro Nacional de Furacões (NHC), segundo a qual o litoral das Bermudas sofrerá os impactos das ondas. Nicole leva ventos de até 130km/h e pode se fortalecer levemente nas próximas 24 horas. O novo furacão está a leste de Matthew.


1,5 milhão
Total de moradores da Flórida que foram removidos às pressas de áreas consideradas vulneráveis


2,5 milhões
Número de pessoas que ficarão sem energia elétrica na Flórida, devido à passagem do furacão







Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação