Doenças transmissíveis matam menos

Doenças transmissíveis matam menos

postado em 07/10/2016 00:00
Segundo o Global Burden of Disease Study 2015, um dos fatores que mais contribuíram para o aumento da expectativa de vida a nível mundial foram as grandes quedas de mortes provocadas por doenças transmissíveis nos últimos 10 anos, principalmente Aids, diarreia e malária. No Brasil, por exemplo, houve queda de 10,9% na mortalidade dos pacientes com Aids desde 2003, segundo o Ministério da Saúde. A taxa caiu de 6,4 óbitos por 100 mil habitantes em 2003 para 5,7 óbitos em 2014.

O relatório mundial de doenças e fatores de risco também revelou que, desde 1990, houve aumento do uso de drogas e exposição a agentes cancerígenos, como o benzeno, presente na fabricação de detergente e de outros produtos domésticos. Em contraste, as exposições a riscos considerados evitáveis ; por exemplo, o tabagismo e o saneamento inseguro da água ; reduziram, levando em conta dados 2005. Ainda assim, o fumo está entre uma das cinco principais causas de riscos associados à perda da saúde em 140 países, sendo os principais deles o Reino Unido e os Estados Unidos.

Sondagem anual
O Global Burden of Disease Study é um relatório feito anualmente, desde 1990. Nessa última edição, os cientistas realizaram uma análise mais refinada, considerando, pela primeira vez, o índice sociodemográfico dos países, o que inclui taxas de educação, renda e fertilidade. A mudança ajudou nas comparações entre as regiões analisadas, disseram os participantes.

;Nós vimos países que melhoraram mais rápido, considerando fatores além da renda, da educação ou da fertilidade. Também percebemos países ; incluindo os Estados Unidos ; que são muito menos saudáveis do que deveriam ser, dados os seus recursos;, detalhou, em comunicado à imprensa, Christopher Murray, diretor do Instituto de Metrologia da Saúde e Avaliação da Universidade de Washington e um dos autores do relatório. O estudo científico considerou mais de 300 doenças e lesões em 195 países e territórios.(VS)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação