Sr. Redator

Sr. Redator

Cartas ao Sr. Redator devem ter no máximo 10 linhas e incluir nome e endereço completo, fotocópia de identidade e telefone para contato. E-mail: sredat.df@dabr.com.br

postado em 15/10/2016 00:00

Gim Argello

Entre querer ver e não ver há uma sutil diferença. Dizer que Jorge Argello, filho do ex-senador Gim Argello, condenado a 19 anos de cadeia pelo juiz Sérgio Moro, participava das reuniões criminosas com o pai e não sabia de nada, é substimar a inteligência das pessoas. Gim está aliviado por não ter o filho como companheiro de cela nos próximos anos. Trata-se de reação natural. Enquanto permanecer atrás das grades, talvez o ex-senador consiga refletir sobre suas ações tão nocivas à sociedade. Ao contrário dos ex-diretores, Gim não teve a sorte de ser condenado a cumprir pena em uma mansão, conquistada por meio de ações criminosas. O destino dele deveria ser aplicado a todos os envolvidos em crimes de corrupção, sem exceção.
Evandro Magalhães,
Asa Sul



; Com um pena de 19 anos é o mesmo que dizer que o crime compensa. Só no Brasil, contraventores são autoridades, fazem leis e definem como devem ser punidos. Eu não acredito que a corrupção vá diminuir no Brasil, ela está fazendo somente uma paradinha para se recuperar nesse teatro armado. Nada melhor do que um dia após o outro.
Edison Becker Filho,
Brasília



Rio de Janeiro

O ex-secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, pulou do barco na hora certa. O estado está quebrado. Como conter a violência na cidade sem um tostão para pagar o salário da tropa? A falência do Rio é resultado da má gestão dos governantes. Beltrame colocou os traficantes para correr. Mas, sem dinheiro no bolso, os policiais baixaram a guarda e os bandidos voltaram a subir os morros. O governo federal parece omisso diante da gravidade que rodeia a Cidade Maravilhosa, um dos mais belos cartões-postais do país.
Helder Figueiredo,
Águas Claras

Água


Se depender dos agricultores do DF, a Caesb terá muita dificuldade de encher as burras de dinheiro, com a inexplicável e inaceitável cobrança de taxa extra. A estiagem comprometeu a safra e, sem produtos, não há o que comercializar e obter renda para pagar a conta pelo consumo de água. A situação é tão vergonhosa e as providências do governo local indicam, sem maquiagens, a ineficiência da gestão. A barragem do Descoberto, bem como de vários outros corpos hídricos, não secou da noite para o dia. Os sinais estavam dados e o governo repassou a São Pedro a responsabilidade de evitar a crise. Há séculos, milagres não acontecem que ; se é que ocorreram em algum momento na história da humanidade.
Ewerton Pereira,
Vila Planalto


Sem gasolina


Por falta de combustível numa ambulância do Samu, um homem morreu sem receber o atendimento adequado. Há poucos dias, um estudante foi eletrocutado ao tocar uma grade de metal dentro da escola. A sucessão de episódios que causam indignação mostra o quanto o GDF, sob a batuta socialista de Rollemberg, não dispõe de administradores à altura da cidade. As promessas de campanha não passaram de quimeras. O desmedido desejo de tomar assento no Palácio do Buriti foi saciado. Mas respostas à altura das demandas dos brasilienses não chegaram nem serão dadas até 2018. Em termos de gestão, o governo de Rollemberg é uma tremenda gafe.
Lara Borba,
Asa Sul


Estiagem


As secas em qualquer lugar do mundo são catastróficas. Mas, com pequenos custos, se pode armazenar água da chuva na época própria e não sentir os efeitos danosos da falta de água. Basta querer. Há mais de dois anos, tento difundir o procedimento. Minha empresa nunca concordou. Por que? Lembrem-se: sofre com a seca quem quer!
Orlando Kerber,
Brasília


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação