Tuberculose matou 1,8 milhão em 2015

Tuberculose matou 1,8 milhão em 2015

postado em 15/10/2016 00:00
 (foto: Fabrice Coffrini/AFP)
(foto: Fabrice Coffrini/AFP)

A epidemia de tuberculose que afeta principalmente o mundo em desenvolvimento atingiu proporções alarmantes, alertou a Organização Mundial da Saúde (OMS). No ano passado, 10,4 milhões de pessoas foram contaminadas, sendo que o relatório anual anterior da instituição apontava para 9,6 milhões de infectados. No Brasil, houve 81.137 notificações e 5,5 mil mortes no período. ;Teremos que aumentar substancialmente nossos esforços sob o risco de ver países continuamente castigados por essa epidemia mortal e não alcançar nossos objetivos;, disse a diretora da OMS, Margaret Chan. Ela ressaltou que pesquisas para encontrar uma vacina ou outros tratamentos carecem de financiamento.

A meta mundial para controle de tuberculose é reduzir o número absoluto de mortes pela doença em 35% e de contágios em 20% até 2020, com relação aos números de 2015. Para 2030, o objetivo é diminuir em 90% a quantidade de mortos por tuberculose e em 80% o de infectados. Segundo o informe da OMS, divulgado ontem, 1,8 milhão de pessoas morreram vítimas da doença em 2015 ; 300 mil a mais do que no ano anterior. A tuberculose é provocada por uma bactéria, o bacilo de Koch, que na maioria dos casos se aloja nos pulmões, destruindo o órgão gradativamente.

Dois em cada cinco infectados não foram diagnosticados, e por isso podem espalhar a doença, transmitida por via aérea. Além disso, meio milhão de pessoas têm formas de tuberculose resistentes aos antibióticos, segundo o informe. As cifras sobre as dimensões da epidemia foram revistas para cima essencialmente porque os pesquisadores se deram conta de que as estimativas da Índia, entre 2000 e 2015, eram muito baixas. Seis países representam 60% dos novos casos: Índia, Indonésia, China, Nigéria, Paquistão e África do Sul.

Poucos recursos

A escassez de recursos também é um problema crônico no combate à doença. Entre 2005 e 2014, os fundos disponíveis alcançaram apenas 700 milhões de dólares por ano. São necessários US$ 2 bilhões para a pesquisa e o desenvolvimento de tratamentos antituberculose, segundo o informe da OMS. ;É necessário incrementar o investimento agora ou simplesmente não conseguiremos erradicar uma das doenças mais antigas e mais mortais do mundo;, disse Ariel Pablos-Mendez, encarregado da agência americana para o desenvolvimento internacional, a Usaid.

Em nota, a organização humanitária internacional Médicos sem Fronteiras destacou que o relatório é ;um chamado de atenção para mudar o status quo na forma de diagnosticar e tratar a tuberculose e suas formas resistentes;. ;Governos e empresas farmacêuticas devem fazer mais para aumentar rapidamente o acesso a novos medicamentos efetivos contra as formas resistentes a medicamentos da tuberculose, de forma que todos tenham chances maiores de serem curados;, disse Greg Elder, coordenador médico da Campanha de Acesso a Medicamentos da MSF.

;Teremos que aumentar substancialmente nossos esforços sob o risco de ver países continuamente castigados por essa epidemia mortal;

Margaret Chan, diretora da OMS

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação