A "culpa" é das estrelas

A "culpa" é das estrelas

Campeões olímpicos, Bruno Schmidt e Alison dominam as atenções na estreia do Circuito Banco do Brasil Open, em Brasília. Dupla ofusca outros jogos, como o do algoz da final da etapa de 2015

Maíra Nunes
postado em 15/10/2016 00:00
 (foto: Fotos: Antonio Cunha/CB/D.A Press

)
(foto: Fotos: Antonio Cunha/CB/D.A Press )


Na primeira vez que jogaram em solo brasileiro após a conquista do ouro nos Jogos Olímpicos do Rio, Alison e Bruno Schmidt atuaram em Brasília na segunda etapa do Circuito Banco do Brasil de Vôlei de Praia Open ; a dupla optou por não participar da primeira, em Campo Grande (MS). Eles estrearam na tarde de ontem na quadra central da arena montada ao lado do Estádio Mané Garrincha. ;Desde que jogamos o World Tour Finals, em Toronto, sabemos que todo mundo quer bater o campeão olímpico. É normal. Quando eu era mais novo, também queria ganhar de Ricardo e Emanuel;, afirma Alison.

Enquanto a dupla assumia o protagonismo na arena com as arquibancadas cobertas, diante de 224 pessoas, numa das outras três quadras, com capacidade menor, em que os torcedores sofrem com o sol, jogava um atleta que ostenta a façanha de ter ganhado das duas principais estrelas do circuito. O sul-mato-grossense Saymon pode dizer que já venceu os campeões olímpicos ; só que antes da medalha de ouro. Na etapa brasiliense do circuito de 2015, ele e o então parceiro, Guto, derrotaram Bruno e Alison na final. A dupla, que já havia surpreendido por chegar à decisão, tirou do ;Mágico; e do ;Mamute; o título da etapa.

;O voleibol tem muita surpresa né, tem dia que é dia, tem dia que é noite. Mostra que o nosso nível é muito bom, o nível brasileiro é muito forte, um dos torneios mais fortes do mundo;, disse Saymon, sobre o feito. Ontem, diante de uma torcida de apenas 17 pessoas, ele venceu o também brasiliense Harley. Em meio a um calor de quase 30;C, só quatro pessoas se atreveram a gastar energia com mais entusiasmo. Hugo, primo do Harley, gritava a cada ponto marcado pela dupla do brasiliense. Saymon e Álvaro Filho (seu novo parceiro), ainda assim, tinham a maior torcida: três senhoras vibravam quando a equipe pontuava, uma delas, irmã do técnico da dupla, Ernesto Vogado.

Mesmo com o prestígio de um público mais de 11 vezes maior que o jogo da quadra dois, Bruno e Alison não conseguiram embalar os fãs como gostariam. ;A torcida ainda está um pouco parada, mas vamos jogá-la para cima, vamos transformar essa arena num caldeirão;, promete Mamute, em relação aos confrontos de hoje e de amanhã. Isso, no entanto, não significa que faltaram aplausos ou incentivos: a empolgação da arquibancada, mesmo com vários espaços vazios, era toda destinada aos campeões olímpicos.

A dupla dos jovens paranaenses Eduardo Davi e Arthur, de 23 e 20 anos, respectivamente, que estava do outro lado da rede, até arrancou aplausos. Também conseguiu a façanha de vencer o primeiro set e levar o jogo para o tiebreaker.

Os dois placares que apresentaram a vitória dos favoritos por 2 sets a 1 (25/27, 21/14 e 15/9) eram digitais. Além disso, havia um telão exibindo a partida. Já no palco onde Saymon atuava, a contagem dos pontos era manual mesmo e mostrou, ao fim, o triunfo dele por 2 sets a 0 (21/18 e 21/19).

O critério para a seleção do local de jogo é baseado no ranking da dupla com a maior pontuação. Com jogos simultâneos em uma competição que reúne várias estrelas do vôlei de praia, até medalhista olímpica entra na concorrência pelo protagonismo da quadra principal. As vice-campeãs na Rio-2016, Ágatha e Bárbara, por exemplo, calharam de jogar na mesma hora ontem. Como elas desfizeram a parceria logo após a Olimpíada, coube a Ágatha o prestígio da arena com maior estrutura, ao lado de Carol. Elas sofreram para vencer Rebecca Silva e Elize por 2 sets a 1, assim como Bárbara e Fernanda Berti para passar por Rachel e Andrezza, também por 2 sets a 1 (19/21, 21/16 e 15/10).


Programe-se

Circuito Banco do Brasil de Vôlei de Praia Open

Local: estacionamento do Mané Garrincha
Hoje: das 10h às 21h (repescagem, quartas de finais e semifinais)
Amanhã: das 9h às 11h (disputas de terceiro lugar e finais)
Obs.: entrada franca




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação