Eixo capital

Eixo capital

helena mader / helenamader.df@dabr.com.br
postado em 15/10/2016 00:00
 (foto: Divulgação/ site oficial)
(foto: Divulgação/ site oficial)

Administrações retomam gastos com shows e eventos

As administrações regionais retomaram a velha prática de gastar altos valores com shows e festas. Só esta semana, foram pelo menos três eventos, que custaram juntos R$ 360 mil. A contratação do cantor Zé Felipe, conhecido como Justin Bieber do Sertanejo, por um cachê de R$ 80 mil, repercutiu mal, mas não foi a única despesa do gênero. O jovem se apresenta hoje à noite, no Gama, assim como o Trio Parada Dura, que também faturou R$ 80 mil. Já a Administração de Samambaia repassou R$ 100 mil para patrocinar o evento Festvida, realizado semana passada pela Igreja Batista Ministério Vida Nova. A grande atração foi o cantor gospel Eli Soares (foto). Segundo o site da organização, 3 mil pessoas participaram do evento evangélico, que contou com orações do pastor Amilton Gomes.





Rodeio de R$ 100 mil

Já a Administração Regional de Águas Claras destinou R$ 100 mil à realização do evento Circuito Cerrado de Rodeio, previsto para este fim de semana. As principais atrações serão artistas sertanejos, como Pedro Paulo e Matheus (foto), Rick e Rangel e Wallace Mello. O patrocínio foi possível graças à descentralização da execução de créditos orçamentários da Secretaria de Cultura para a Administração de Águas Claras, que apoiou a realização do evento de rodeio. De acordo com informações do Siggo, o GDF gastou R$ 3,7 milhões com eventos culturais e R$ 2,1 milhões com homenagens e festividades em 2016.




Enquanto isso...

Na manhã de ontem, pouco antes do anúncio do adiamento do pagamento dos reajustes salariais, o vice-governador do DF, Renato Santana, postou uma foto em redes sociais em que aparecia pedalando no centro de Ceilândia. ;Sexta-feira de bênçãos, amigos e amigas;, declarou ele, na legenda da imagem. Com o clima de atrito entre o chefe do Executivo e o vice-governador, Santana não participou dos debates e reuniões sobre a decisão de adiar por tempo indeterminado o pagamento dos reajustes.



Em busca de paz

Diante do momento complicado, talvez um dos mais duros de sua administração, o governador Rodrigo Rollemberg foi buscar um pouco de paz antes de enfrentar o difícil anúncio aos servidores. Por volta das 7h, ele tomou banho de cachoeira para se preparar para o rojão.




Novo capítulo da guerra

O reajuste do auxílio-moradia pago aos policiais militares deixou irados os policiais civis, que até agora não tiveram sinalização sobre o aumento salarial da categoria. A animosidade entre as duas corporações, que já estava acirrada, se agravou. Faixas espalhadas pela cidade desde quinta-feira, ironizando o reajuste dos benefícios da PM, foram atribuídas ao Sindicato dos Policiais Civis. A entidade nega a autoria. ;Isso foi uma montagem grosseira;, diz Rodrigo Franco, presidente do Sinpol. ;O governador adotou tratamento diferenciado entre a PM e a Polícia Civil. Ele está usando dois pesos e duas medidas;, declarou.



;Não sou candidato;

Sempre citado como potencial candidato ao Palácio do Buriti, o presidente do Tribunal de Contas do DF, Renato Rainha, garante que não disputará as próximas eleições. ;Não sou candidato a nenhum cargo eletivo em 2018;, assegurou Rainha. Segundo ele, sua aparição constante ;deve-se à necessidade do Tribunal de prestar contas para a população do DF sobre suas atuações na fiscalização dos recursos públicos;.



Conplan aprova mudanças no Setor Jardim Botânico

O Conselho de Planejamento Territorial e Urbano do DF (Conplan) se reuniu para deliberações pela primeira vez desde a posse dos novos integrantes do colegiado. Na reunião, os conselheiros aprovaram uma alteração no projeto urbanístico da etapa 1 do Setor Jardim Botânico. Com isso, os lotes que não puderam ser incluídos na venda direta de 2007 por conta de imprecisões no projeto poderão ser comercializados. A medida atinge 97 dos 538 terrenos da região. A proposta também prevê aumento nas áreas verdes disponíveis para comunidade. O governo deve agora fazer audiência pública para encaminhar a proposta à Câmara Legislativa.




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação