Áustria vai demolir a casa natal de Hitler

Áustria vai demolir a casa natal de Hitler

postado em 18/10/2016 00:00
 (foto: Joe Klamar/AFP)
(foto: Joe Klamar/AFP)



O amplo imóvel de fachada amarela na Rua Salzburger Vorstadt, no coração da cidade austríaca de Braunau am Inn, é carregado de simbolismo e polêmica. Foi ali, em 1889, que nasceu Adolf Hitler. Anualmente, em 20 de abril, data de aniversário do líder nazista, dezenas de ativistas antifascistas protestam em frente ao casarão, que está vazio desde 2011 por conta de uma batalha judicial que agora chega ao fim com a decisão de demolir a construção.

;A casa de Hitler será destruída. As fundações poderão ser conservadas, mas será construído um novo edifício;, declarou o ministro austríaco do Interior, Wolfgang Sobotka, ao jornal Die Presse, acrescentando que o novo prédio será destinado ao uso ;beneficente ou administrativo;.

Desde a década de 1970, o governo da Áustria tenta evitar que o local se torne referência para peregrinação nazista. Na época, foi acertado um acordo com a dona do imóvel, Gerlinde Pommer, moradora da cidade, que garantiu a transformação do casarão em um centro para pessoas com deficiência. A família de Pommer é dona do casarão há mais de um século ; exceto por um período durante a Segunda Guerra Mundial.

O centro funcionou por vários anos, até que Gerlinde se negou a autorizar trabalhos de restauração, considerados indispensáveis, e o local foi fechado. Desde então, o destino da casa é motivo de intensos debates entre especialistas e dentro do próprio governo austríaco. Só uma pedra sinaliza a história do imóvel, com a seguinte inscrição: ;A favor da paz, da liberdade e da democracia. Fascismo nunca mais;.

Em julho passado, autoridades divulgaram um projeto de lei para embargar a residência e encerrar a briga na Justiça. Para que o projeto de demolição se concretize, o governo deverá concluir o procedimento de expropriação da casa, segundo informou à agência France Presse um porta-voz do Ministério do Interior. A data de apresentação da proposta ao parlamento, porém, ainda não foi anunciada. Uma comissão foi designada pelo governo e recomendou mudanças ;arquitetônicas profundas; na construção, segundo informou o porta-voz do ministério.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação