Curtas

Curtas

postado em 18/10/2016 00:00
 (foto: Jean-Claude Delmas/AFP)
(foto: Jean-Claude Delmas/AFP)

; INDONÉSIA
AçOITADOS
POR NEGAR
A SHARIA


Sob a acusação de infringir a sharia (lei islâmica), seis mulheres e sete homens, com idades entre 21 e 30 anos, foram açoitados ontem na província indonésia de Aceh. No grupo, alguns foram punidos porque se beijaram em público sem serem casados. Aceh é a única província da Indonésia que impõe a lei islâmica. Jogo, consumo de álcool e relações homossexuais são alguns dos crimes que podem ser punidos com a flagelação. Uma jovem chorou de dor enquanto era surrada sob as vaias da multidão que assistia ao castigo, na frente de uma mesquita da capital da província de Banda Aceh. Uma grávida, de 22 anos, foi temporariamente dispensada da execução da sentença, mas o vice-prefeito de Aceh, Zainal Arifin, garantiu que o castigo será aplicado depois que o bebê nascer.


; FRANÇA
POLÊMICA EM
TORNO DE
;SALA DE PICO;


Autoridades francesas inauguraram ontem, em Paris, a primeira ;sala de pico; da França, um local para que os dependentes químicos possam injetar drogas em um ambiente controlado e com boas condições sanitárias. Algumas associações saudaram o experimento, mas a opinião pública está dividida. A sala de consumo de drogas de menor risco (SCMR) fica no Hospital Lariboisi;re, perto da estação de trem no norte de Paris, a Gare du Nord, no bairro da capital mais atingido por esse flagelo. Cerca de 20 médicos, enfermeiras, educadores, assistentes sociais e agentes de segurança estarão à disposição dos usuários. Com esse espaço, a França se une à Alemanha, Austrália, Canadá, Espanha, Dinamarca, Luxemburgo, Noruega, Holanda e Suíça, onde esses ambientes se mostraram eficazes nos últimos anos.


; SEM TABU
AS CONFISSÕES
DA AMANTES
DE MITERRAND




Na sombra durante os 33 anos de relacionamento amoroso com o ex-presidente francês François Mitterand (foto da esquerda), Anne Pingeot contou à emissora de rádio France Culture o que a levou a ;aceitar o inaceitável;. Pingeot, que foi curadora de museu e criou em segredo a filha que teve com o ex-presidente, Mazarine, falou ;com pudor, mas sem tabu;, de sua relação secreta com o socialista, morto em 1996, em uma série de entrevistas que começou a ser divulgada ontem. Quando conheceu Mitterrand, em 1962, ele estava casado e com dois filhos. O político tinha 46 anos, e ela, apenas 19. Ele nunca cogitaria se divorciar da esposa, Danielle. ;O que ouvi, por exemplo, sobre a visão da mulher. Que a mulher é alguém que tem que ser submissa, sem nenhuma vida intelectual. Essa parte da submissão fez no fundo com que eu aceitasse o inaceitável;, afirmou.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação