A homenagem de Letícia

A homenagem de Letícia

A mulher do goleiro Danilo - que não chegou a ser resgatado com vida, como foi anunciado em princípio pelos socorristas - leva foto do marido para a torcida. Sobreviventes mostram progresso em Medellín

Marcos Paulo Lima Enviado especial
postado em 04/12/2016 00:00
 (foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)
(foto: Breno Fortes/CB/D.A Press)



Chapecó (SC) ; Letícia Padilha quebrou o protocolo. A cerimônia fúnebre nem havia terminado e ela rompeu as grades de isolamento com uma foto imensa do marido. Queria prestar uma homenagem ao goleiro Danilo na trave em que ele operou o último milagre. Aos 49 minutos da semifinal da Copa Sul-Americana, defendeu com o pé o lance que poderia ter eliminado a Chapecoense da competição.

Letícia seguiu até a trave e mostrou um banner com a foto do marido aos torcedores. Foi a senha para a galera gritar ;Danilo, Danilo;. Emocionada, agachou-se na grama encharcada pela chuva e colocou a imagem do goleiro no campo. Com as mãos levantadas, agradecia o carinho da torcida da Chapecoense pelo camisa 1. Ontem, o diretor clínico do hospital San Vicente Fundación, de Medellín, Ferney Rodriguez Tobón, desmentiu que Danilo tenha sido resgatado com vida do acidente. A informação foi confirmada pelo médico Jorge Pagura, da CBF: o goleiro não seguiu para nenhum dos três hospitais que atenderam os sobreviventes. Tobón acredita que houve uma confusão com o reserva Jackson Follman. Os socorristas perguntaram se ele era jogador e em que posição jogava. Follman respondeu que era goleiro e houve o mal-entendido.

Na Arena Condá, padrinho do filho de Letícia e de Danilo, Rodrigo Stafflin acompanhou Letícia usando luvas personalizadas do goleiro e uma camisa com a foto do amigo. ;Elas vão ficar para o Lorenzo. O filho é a cópia do pai. Gosta de ser goleiro e tem tudo para dar sequência na carreira dele;, afirmou. Rodrigo Stafflin estava no estádio pela primeira vez. ;Meu sonho era conhecer o estádio no dia da festa do título da Copa Sul-Americana. Por tudo o que aconteceu ao longo do campeonato, nós tínhamos quase certeza de que a Chapecoense seria campeã. Aquela defesa que ele fez aos 49 do segundo tempo lá naquela trave dizia isso;, lembrou.

Silêncio


Mãe de Danilo, dona Ilaídes Padilha preferiu o silêncio ontem, mas foi elogiada pelo técnico da Seleção Brasileira, Tite. ;Não vou descrever nada, só aquilo que eu vi da mãe do Danilo. Foi extremamente emblemático, de solidariedade com todos vocês (jornalistas). O ato foi extremamente emblemático, o mais bonito que pode acontecer;, afirmou.

Enquanto Letícia demonstrava uma força que não teve desde terça-feira ; estava à base de calmante ;, o pai do zagueiro Filipe Machado deixou de lado a revolta da véspera, quando detonou o piloto da empresa aérea LaMia e até o presidente da República, Michel Temer. Chorava como criança. ;Gente, eu não tenho condição nenhuma de falar hoje. Tudo o que tinha para falar, foi dito ontem. Desculpa, mas está doendo.;

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação