Repúdio às acusações

Repúdio às acusações

postado em 10/12/2016 00:00


Autoridades citadas pela delação premiada da Odebrecht negaram ter recebido dinheiro ilegal por parte de executivos da empreiteira. Acusado de ter pedido R$ 10 milhões da empresa para ajudar em campanhas do PMDB em 2014, o presidente Michel Temer divulgou uma nota em que repudiou ;com veemência as falsas denúncias; e disse que as doações foram declaradas ao TSE. ;Não houve caixa dois nem entrega em dinheiro a pedido do presidente;, diz o texto.

Citado como receptor de parte do dinheiro, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, também negou a informação. ;Não fui candidato em 2014! Nunca tratei de arrecadação para deputados ou para quem quer que seja. A acusação é uma mentira! Tenho certeza que no final isso restará comprovado;, declarou, em nota.

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse que jamais autorizou que terceiros falassem em seu nome e a chance de acharem irregularidades na sua conta ;é zero;. ;O senador ressalta ainda que suas contas são investigadas há nove anos. Em quase uma década, não se produziu uma prova contra o senador;, declarou Renan.

O líder do governo no Congresso, Romero Jucá (PMDB-RR), negou que recebesse recursos pelo partido. ;O senador também esclarece que todos os recursos da empresa ao partido foram legais e que ele, na condição de líder do governo, sempre tratou com várias empresas, mas em relação à articulação de projetos que tramitavam no Senado;, disse.

Já o líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira (CE), afirmou que todas as doações recebidas foram ;contabilizadas, de acordo com a lei;, e aprovadas. (JC)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação