>> DEU no www.correiobraziliense.com.br

>> DEU no www.correiobraziliense.com.br

postado em 10/12/2016 00:00
Suspeito foi solto há um mês Um dos suspeitos de participar da ação que terminou com a morte do italiano Roberto Bordela, na quinta-feira, no Morro dos Prazeres, é o homem apontado como líder do tráfico de drogas da favela, Claudio Augusto dos Santos, conhecido como Jiló. De acordo com o delegado Fábio Cardoso, da Delegacia de Homicídios, ele saiu do presídio há 30 dias. Segundo a Divisão de Homicídios (DH), Jiló tinha anotações criminais desde a década de 90, quando foi preso. Recebeu uma progresso de pena, mas não cumpriu. Foi recapturado há quatro anos e estava em liberdade há 30 dias. A DH identificou mais dois suspeitos de participar da morte do turista italiano Roberto Bardella. Com isso, nove pessoas foram identificadas ao todo. Além de Cláudio, o outro identificado mais recente foi Romulo Pontes Pinho, apontado como o homem que atirou e matou Bardella. Protesto termina em confusão Um protesto dos alunos do Instituto Federal Fluminense (IFF) em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, terminou em confusão ontem. Um grupo de alunos que ocupa a instituição há cerca de um mês resolveu bloquear os acessos ao prédio utilizando madeiras, cadeados, tonel e correntes. A Polícia Federal foi até o local para desobstruir as entradas. Agentes abriram cadeados e houve muita gritaria, já que alguns alunos se recusavam a sair e liberar a entrada. Um dos alunos afirmou que ficou ferido no nariz durante a ação da polícia no momento em que os policias retiravam as correntes que trancavam os portões. Na medida em que as correntes eram retiradas, os estudantes usavam cordas para dificultar a entrada, mas elas também foram removidas pelos agentes, sob protesto.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação