Neto respira sem auxílio e já conversa

Neto respira sem auxílio e já conversa

postado em 10/12/2016 00:00
 (foto: Raul Arboleda/AFP - 29/11/16
)
(foto: Raul Arboleda/AFP - 29/11/16 )



As esperanças se renovam no caso do zagueiro Neto, da Chapecoense. Ontem, os médicos retiraram os aparelhos de respiração artificial do jogador, um dos sobreviventes da queda do avião do time catarinense. ;As próximas 48h serão as mais críticas. Vamos ver se os pulmões suportam. Ele ainda necessita de cuidados intensivos e de avaliação de hora em hora. Queremos que ele aguente respirar sozinho;, explicou o intensivista do clube, Edson Stakonski.

Neto foi desentubado ontem e conversou com os médicos e a mulher. O último a ser resgatado do acidente tem uma fratura na vértebra lombar e continua a ser o paciente que mais inspira cuidados. A CBF enviou um equipamento à Colômbia para auxiliar na recuperação da lesão torácica que sofreu no impacto da aeronave.

Já o goleiro Follmann, que teve parte da perna direita amputada em dois procedimentos, continua sob acompanhamento constante. ;Será necessário passar por um procedimento de limpeza e aplicação do curativo, para evitar o processo infeccioso;, contou Stakonski. O jogador tem uma fratura na vértebra e, quando for transferido ao Brasil, irá para São Paulo.

Os médicos também disseram que pretendem transferir para o Brasil, na próxima semana, o lateral Alan Ruschel e o jornalista Rafael Henzel, também internados no Hospital San Vicente, na cidade de Rionegro, para continuarem o tratamento em Chapecó (SC).

;Estamos organizando a transferência, tem que montar uma grande logística. Ainda não temos uma data, mas já estudamos aspectos como a segurança da aeronave, o equipamento, a equipe, o trajeto e o tempo de voo;, afirmou Stakonski.

O objetivo é levar os dois diretamente para Chapecó. Ambos ainda precisam de mais cuidados médicos, como é o caso de Henzel, que terá de se recuperar de uma lesão no pé direito. Ruschel, que está no quarto há dois dias, apresentou um outro problema clínico. ;Estamos controlando um processo infeccioso urinário, com a bactéria já identificada. Vamos ficar atentos;, disse o diretor médico do hospital, Ferney Rodriguez.

A junta médica formada por colombianos e brasileiros brincou que Ruschel e Henzel já precisam de atenção para que não abusem da melhora da condição médica. Os dois conversam bastante e devem ser transferidos no mesmo voo, até para facilitar a logística de transporte.


;As próximas 48h serão as mais críticas. Vamos ver se os pulmões suportam. Ele ainda necessita de cuidados intensivos e de avaliação de hora em hora. Queremos que ele aguente respirar sozinho;
Edson Stakonski, médico do clube





Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação