É hora de desapegar!

É hora de desapegar!

Se você tem brinquedos, roupas, calçados e livros que não usa mais, que tal fazer uma doação e deixar outra criança feliz? Solidariedade ensina muito e traz felicidade tanto para quem recebe quanto para quem doa

» Ana Flávia castro *
postado em 10/12/2016 00:00
 (foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Luis Nova/Esp. CB/D.A Press)

O Natal está chegando, e o Dia Internacional do Voluntariado foi na última segunda-feira (5) ; são dois momentos especiais para celebrar o amor pelo próximo e a solidariedade só este mês. Mas fazer o bem deve ser uma atitude de todos os dias, não só de datas excepcionais. Tornar o Natal de outra criança feliz é tão bom quanto ganhar um brinquedo novo: dá uma sensação de satisfação sem tamanho!
O tempo passa, os pequenos ficam grandes, e os gostos mudam. A cada ano, são lançados brinquedos novos, e os antigos ficam de lado. Já pensou que aquela boneca ou aquele carrinho que você não usa mais podem fazer outra criança muito feliz como te fizeram um dia? Então, não perca tempo. Chame a mamãe ou o papai e faça uma limpa no seu quarto! Doar é um ato de amor e pode alegrar muito a vida de outra criança.

Sem arrependimentos
Beatriz Del Monte, 11 anos, explica que teve um pouco de dificuldade no começo para se desapegar dos brinquedos, mas quando decidiu fazer o bem, se sentiu muito feliz. Bia doou metade dos brinquedos que tinha em casa, que couberam em 11 caixas bem grandes, e não se arrepende nem um pouquinho.
; Eu não fiquei triste, porque não doei tudo. Gostei muito de ajudar outras crianças que não têm brinquedos para se divertir. Foi fácil escolher, quando decidi que ia fazer o bem, fui colocando um monte de brinquedos dentro das caixas. A minha avó até teve que me perguntar se eu tinha certeza.


Foram várias bonecas, bichinhos de pelúcia, cordas, CDs infantis, bambolês e jogos de tabuleiro. Beatriz dividiu todas as doações em dois locais ; metade foi para o colégio onde ela estuda e a outra metade foi para a Igreja Presbiteriana de Brasília, ambas instituições que ajudam crianças carentes.
; A maioria dos brinquedos que eu doei também não eram mais para a minha idade. Aos poucos, eu sei que vou querer dar mais, porque vou ficar mais velha e não vou mais brincar com as mesmas coisas. Para mim, doar é uma ótima ideia, porque alegra o coração tanto de quem dá o presente quanto de quem recebe.

Livros para quem precisa
Com um pouco de empenho, é possível arrecadar muita coisa. É só falar que é para fazer uma boa ação que as pessoas embarcam na ideia.


Foi isso que aconteceu com Giulia Fusaro, 13. A menina decidiu participar de uma campanha de arrecadação de livros na escola ; que tinha o objetivo de montar uma biblioteca para uma escola pública no DF, ainda não escolhida ;, e juntou tudo o que podia em casa. Mas não se contentou em ajudar sozinha e colocou toda a família para colaborar. O resultado foi ótimo: Giulia conseguiu arrecadar 240 livros.


; Eu achei importante participar, porque é uma escola pública, onde as crianças não costumam ter muito acesso aos livros. É muito legal doar para ajudar na formação delas, orgulha-se a menina.
Giulia colabora sempre que pode. Em 2014, ela cortou os cabelos para ajudar uma instituição que auxilia mulheres com câncer.


; Eu acho muito bom ajudar as pessoas. Se você pode, por que não? Não custa nada!

Doação móvel
Isabela Martineli, 11 , preferiu não escolher uma instituição específica. Ela e a mãe decidiram juntar brinquedos e livros que a menina não usa mais e entregar para crianças de rua. A garota contou com a ajuda da amiga Beatriz Albuquerque, 10, para juntar os presentes e embrulhá-los, como se fossem novos.


; Eu tenho vários brinquedos que não uso e decidi dar para quem não tem. A gente queria diminuir um pouquinho a desigualdade social no país com o que está ao nosso alcance, conta Isabela.
Todos os brinquedos e livros foram embalados para presente e ficaram no carro da família. Quando Isabela encontrar, pelas ruas da cidade, alguma criança acampada, vai entregar a lembrança.
; Quero doar porque é importante para quem não tem condição de comprar um brinquedo. Eu não vou mais usar de qualquer forma, garante a menina.


Beatriz doou para a creche Esperança, na Estrutural, e gostou muito da experiência.
; Entregamos para algumas crianças e elas ficaram bem alegres. Agora, a gente só ficou com o que mais usa, conta.

Fazer o bem e a psicologia

Você sabe o que é empatia? É a habilidade de conseguir se colocar no lugar dos outros e se sentir como eles. Segundo a psicóloga infantil Michelle Teixeira, esse é o princípio fundamental de fazer uma doação: ficar feliz por saber que existe outra pessoa que vai gostar muito do brinquedo que estava guardado no armário. Essa felicidade tem até explicação científica.
; Doar gera uma sensação de satisfação e bem-estar originada pela dopamina, um neurotransmissor liberado pelo cérebro humano quando se faz qualquer atividade que gera prazer, como uma boa ação, explica Michelle.
Se importar com os outros é essencial para o amadurecimento da criançada. A psicóloga, psicopedagoga e neuropsicóloga Kelly Karine Castro garante que a ideia tem que ser uma escolha de quem doa.
; A criança tem que se sentir engajada, pertencendo a essa experiência, vivenciando todo o valor afetivo. Assim, vai desenvolver habilidades importantes como empatia, sociabilidade e entender que existem contextos sociais diferentes do dela, explica.

*Estagiária sob supervisão de Ana Sá

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação