Adolescente morre em Belo Horizonte

Adolescente morre em Belo Horizonte

postado em 14/12/2016 00:00
 (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)


Uma adolescente morreu na manhã de ontem, em Belo Horizonte (MG), após ser arrastada por uma enxurrada. Bianca Cristina de Oliveira, 13 anos, ficou presa embaixo de um carro com a irmã de 10 anos. Elas estavam a caminho da escola com mais duas crianças quando acabaram atingidas pelo aguaceiro.

As irmãs foram resgatadas pela Polícia Militar e chegaram ao hospital com um quadro de parada cardiorrespiratória. Bianca morreu por volta do meio-dia, a irmã dela segue internada no Hospital Risoleta Tolentino Neves. As outras duas crianças do grupo de estudantes conseguiram escapar. Os transtornos em decorrência do período chuvoso começaram e já deixam as primeiras vítimas.

Ainda em Belo Horizonte, um ônibus escolar ficou ilhado no bairro Dona Clara, na Pampulha, ponto crítico que costuma alagar durante o período de chuva. Na noite de segunda-feira, passageiros de um ônibus tiveram que sair pelo teto após a água tomar conta do coletivo, depois de um temporal na região de Venda Nova. Carros foram arrastados e cobertos pela água, até mesmo uma parte dos trilhos do metrô foi inundada.

De acordo com o último boletim da Defesa Civil de Minas Gerais, de outubro a dezembro, oito municípios decretaram estado de emergência e outros nove foram atingidos por eventos adversos, mas não decretaram estado de alerta. Já são 18 feridos, quatro mortes e um desaparecimento, além de 1.941 desalojados e 223 desabrigados. Em relação aos danos materiais, 665 casas foram danificadas e 61 destruídas em todo o estado.

No Rio de Janeiro, alguns pontos da cidade amanheceram alagados ontem, após chuva forte na noite anterior. Em Del Castilho, na Zona Norte, o teto de um shopping desabou na praça de alimentação, após vazamento de água. A área estava vazia e ninguém se machucou. No estacionamento de um outro shopping da região, um carro foi atingido depois de parte do teto ceder. Algumas pistas foram interditadas e os motoristas tiveram dificuldade para se locomover. Rio de Janeiro e Niterói estão em estado de atenção.

Preocupação

A chegada das chuvas tem provocado um problema que se repete todos os anos: as enchentes. As consequências vão desde a perda material até mortes. De acordo com relatório divulgado pelo Escritório das Nações Unidas para a Redução de Desastres (UNISDR), em 2015, o Brasil é o sexto país mais afetado por catástrofes naturais. O único do continente americano no top 10.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2008 a 2013, 2.276 cidades foram atingidas por algum tipo de desastre natural como inundações, enxurradas bruscas ou deslizamentos de encostas. O estado com maior número de deslizamentos foi Minas Gerais, com 225, seguido de São Paulo, com 121, Santa Catarina, com 118, Rio de Janeiro, com 70, e Espírito Santo, com 48 casos.

A Defesa Civil do Distrito Federal alerta para os cuidados durante as chuvas para evitar acidentes. ;Se o nível da água estiver subindo, vá com sua família para um lugar seguro. Se estiver ao ar livre, procure um abrigo seguro, longe de árvores, pois elas atraem raios e seus galhos podem cair.;

Para o professor do Departamento de Engenharia Civil e Ambiental da Universidade de Brasília Sérgio Koide, o problema é estrutural. ;No Distrito Federal, por exemplo, várias cidades foram construídas antes da regularização, primeiro a cidade e depois o sistema de drenagem. Elas sempre vão sofrer com as chuvas. A ocupação também não foi planejada. Precisamos pensar em cidades modernas, em reter mais a água, um sistema de drenagem moderno;, afirma.

Segundo Koide, ;não é só uma questão de infraestrutura, mas passar também a responsabilidade para os proprietários, pensar em como filtrar essa água no telhado, detê-la, em vez de jogar para a rua, que vai para o bueiro;, avalia.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação