A cidade que Gabo adotou

A cidade que Gabo adotou

A alegria começa no olhar: as ruas estreitas de Cartagena são repletas de casas coloridas e floridas. No centro histórico, cercado por muralhas, monumentos que encantam os visitantes

postado em 14/12/2016 00:00
 (foto: Elizabeth Colares/EM/D.A Press)
(foto: Elizabeth Colares/EM/D.A Press)




Cartagena de Índias não costumava ser diretamente citada nos livros de Gabriel Garcia Márquez, mas o vencedor do Prêmio Nobel de Literatura revelava que, em cada obra sua, havia fiapos de Cartagena. Nascido em Aracataca, Gabo mudou-se para a mais charmosa cidade do Caribe colombiano em 1948, com 21 anos. Por mais de meio século, entre idas e vindas, fez inevitavelmente, Cartagena se tornou a cidade de Gabo.

Caminhar pelas ruas de Cartagena é como viajar pelas paisagens imagéticas do realismo fantástico. Ao se perder pelas ruas estreitas, de casas coloridas e floridas, é inevitável não se sentir imerso no universo de Macondo, a cidade de Cem anos de Solidão, ou de outros romances tropicais do escritor, como O amor nos tempos do cólera ; a adaptação para o cinema, de 2007, aliás, teve locação na cidade.

Cartagena, patrimônio da humanidade, foi fundada no século 16, guarda uma peculiaridade: o Centro Histórico ; ou Ciudad Amurallada ;, onde se concentram os principais pontos turísticos, foi construído dentro da muralha de 11 quilômetros de extensão, concluída em 1796.

Dentro da cidade amuralhada e nos bairros das redondezas, como Getsêmani, estão os bares, restaurantes e a arquitetura que fazem a fama de Cartagena. Ali estão pontos turísticos como a Torre do Relógio, a Catedral de Santa Catalina ; que, emoldurada pelas flores e casas coloniais, é o principal cartão-postal da cidade ;, a igreja de San Pedro Cléver e a casa de Gabriel Garcia Márquez. No fim de tarde, não pode faltar a visita ao Café Del Mar, erguido sobre a muralha, de onde se tem a vista deslumbrante do pôr do sol caribenho.

Para quem gosta de praia, Cartagena oferece algumas opções, bem menos badaladas que Santa Marta ou a ilha de San Andrés, mas de areia branca e água azul-turquesa: as mais visitadas são Isla do Rosário e Playa Blanca, que podem ser acessadas de barco ou van, que saem de Muelle de los Pégasos, próximo à Torre do Relógio.



Experimente

Na cidade histórica

; Restaurante La Cevicheria ; Calle 39 #7 14
; Pasteleria Mila ; Calle de la Iglesia, 35-76
; Café Havana ; Carrera 10, Getsêmani
; Pub KGB (todo decorado com artigos originais da antiga União Soviética) ; Parque Fernandez Madrid, na Ciudad Amurallada



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação