Cenário bucólico que guarda muitas histórias

Cenário bucólico que guarda muitas histórias

postado em 14/12/2016 00:00
 (foto: Mapa da Cachaça/CB/D.A Press)
(foto: Mapa da Cachaça/CB/D.A Press)



As ruas de pedras e casinhas coloridas típicas do interior de Minas dão todo o charme a Ritápolis. Ruas onde o tempo parece passar mais devagar, a praça principal com sua bela igreja do século 18, culinária e doces mineiros de dar água na boca, artesanato e, claro, muita hospitalidade.

Em frente à Praça Tiradentes, que conta com uma estátua do inconfidente, fica o Santuário de Santa Rita de Cássia, simpática igreja que nasceu de uma capela construída ainda no século 18. A paróquia foi fundada em 1854. Conhecida como Santa das Causas Impossíveis, Santa Rita de Cássia é homenageada todos os anos na cidade, há mais de um século e meio.

Quem gosta de contato com a natureza, trilhas ecológicas na mata atlântica e no cerrado levam a belas cachoeiras, rios e grutas. Uma das quedas d;água mais conhecidas da região é a Cachoeira Jabuiú. Localizada em uma propriedade particular, fica aberta nos fins de semana e conta com boa estrutura para receber o visitante. A cidade também abriga o lendário Rio das Mortes, palco da Guerra dos Emboabas, batalha travada de 1707 a 1709 pelo direito de exploração das jazidas de ouro recém-descobertas na região.

Em volta
Próximo a Ritápolis, o visitante pode conhecer as cidades históricas de São João del-Rei e Tiradentes. Mas outros vilarejos e pequenos municípios da região deixarão o passeio ainda mais completo. Vitoriano Veloso, distrito de Prados, é mais conhecido como Bichinho e atrai turistas de todo o país interessados em seu famoso artesanato, que tem de peças de decoração a móveis. Vale a visita com direito a almoço.

Quem gosta de degustar uma pinga não pode deixar de ir a Coronel Xavier Chaves, onde fica o engenho mais antigo do país. Na propriedade, que pertenceu ao irmão de Tiradentes, é produzida a cachaça Século 18, até hoje administrada por descendentes do inconfidente.




Para saber mais

À espera do memorial
A grande expectativa da população de Ritápolis é a construção do Museu-Memorial Tiradentes. A ideia nasceu de uma parceria entre o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Instituto da Liberdade e Universidade Federal de São João del-Rei e contaria com projeto assinado por Oscar Niemeyer.
A previsão é de que o edital do museu seja publicado no próximo ano.




Serviço

Fazenda do Pombal

Informações: (32) 3356-1655
A Flona fica aberta ao público gratuitamente, das 7h às 11h e das 12h às 16h, somente em dias úteis.

Como ir
O trajeto pode ser feito em menos de 12 horas. De carro, o motorista deve seguir pela BR 0-40 até Paracatu (MG), no encontro com a MG-410. Desse ponto, segue até o trevo de Lagoa Grande e entra na BR-354 em direção a Patos de Minas e Santa Rosa, onde há um novo trevo. A intenção é fugir do trânsito pesado e evitar a capital mineira. Depois do segundo trevo, seguir pela BR-262 em direção a Nova Serrana e pegar a BR-494, onde vai encontrar um pequeno trecho da BR-381 (Fernão Dias). Serão encontrados mais dois trevos até atingir a BR-265, que leva a São João del-Rei e a Tiradentes.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação