Crônica da Cidade

Crônica da Cidade

Retrato em carne e osso

por Guilherme Goulart >> guilherme.df@dabr.com.br
postado em 15/12/2016 00:00
Senhores e senhoras turistas, não temam a nossa cidade. Por mais que ela esteja passando por turbulências sociais, são incomuns por aqui atos tão estúpidos quanto os que testemunhamos nas últimas semanas na Esplanada dos Ministérios. Podem acreditar, não é normal quebra-quebra, pichação de monumento e destruição de placa, agência bancária e prédio público. Parece estranho ; e é mesmo ; o desrespeito de vândalos disfarçados de manifestantes a obras caras para a cidade, como a Catedral e o Museu da República, mas ponderem antes de riscar Brasília de possível destino de férias.

Senhores e senhoras turistas, também não se afastem da capital federal por causa do comportamento no mínimo inadequado dos nossos queridos parlamentares. Eles têm mania de desviar dinheiro da merenda escolar, de mudar a lei em prol do egoísmo e da canalhice e de aprovar emendas em léguas submarinas. Não é novidade, mas eles evitam ao máximo punir colegas corruptos ; até porque eles podem ser os próximos. É bem raro, mas, mesmo entre eles, há pessoas legais, honestas e capazes de fazer o bem à sociedade. Podem acreditar. Ou não. Nem a gente sabe bem. O importante é não desanimar.
Senhores e senhoras turistas, a nossa saúde pública também não vai nada bem, sabem disso, né? As pessoas (ou melhor ; ou pior ;, os pacientes), realmente, passam horas, às vezes dias, à espera de atendimento nas portas dos hospitais. O retrato não é nada bonito. Falta esparadrapo, algodão, o básico, enfim. Muitos governantes tentaram resolver os problemas da área, até médico foi governador, mas nada se resolveu, infelizmente. Caso venham nos visitar, melhor dispor do bom e velho seguro saúde. Mas só por precaução. Não vai acontecer nada com vocês. Não mesmo.

Senhores e senhoras turistas, também estamos a dever quanto a mobilidade urbana. Tem ônibus executivo a partir do aeroporto, Uber e afins, mas, se quiserem conhecer a cidade como ela é, ou seja, dentro de um coletivo, será tarefa das mais complicadas. Os veículos são superlotados, e, agora, uma equipe genial resolveu limitar os horários bem na época das férias dos senhores. Ah, tem metrô, mas esse também é bastante comprometido. Para terem uma ideia, ele atende só um lado do DF. Não riam, é verdade. É possível, ainda, dar umas pedaladas, sim. Há pontos de bicicletas para alugar, mas as nossas ciclovias...
Senhores e senhoras turistas, sei que tudo isso é assaz desanimador. Mas, vamos lá, criem coragem e venham nos visitar. Vejam bem: temos os azulejos de Athos Bulcão, os traços de Oscar Niemeyer, os jardins de Burle Marx e o ineditismo de Lucio Costa. Há cidade europeia por aí que não reúne tantos renomes da arte e da arquitetura. Nós reunimos. Também dá para conhecer todos os monumentos, com visita guiada e tudo. Se vierem, não deixem de fazer um piquenique no Ce-ce-be-bê.

Sempre rolam exposições imperdíveis por lá. Ah, claro, há a Torre de TV, o Parque da Cidade, o Templo da Boa Vontade.
Senhores e senhoras turistas, também vale muito a pena dar uma escapadinha para os arredores da capital. Sério, vem gente do mundo inteiro só para conhecer a Chapada dos Veadeiros. São trilhas e cachoeiras que não acabam mais. Também há opção de roteiro histórico em Pirenópolis e de mergulho nas águas termais de Caldas Novas. Tão vendo? Nem tudo está perdido. Vamos fazer o seguinte? Venham conhecer a cidade e tirem as suas conclusões. O retorno é garantido.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação