Ninguém segura CR7

Ninguém segura CR7

Conquista no Japão coroa o ano espetacular de CR7, campeão também da Eurocopa e da Champions, e Bola de Ouro da France Football. Português espera agora faturar o prêmio de melhor do mundo, da Fifa

postado em 19/12/2016 00:00
 (foto: Behrouz Mehri/AFP)
(foto: Behrouz Mehri/AFP)


Cristiano Ronaldo teve um ano dos sonhos, como ele próprio definiu ontem. Foi campeão da Eurocopa com a seleção de Portugal; faturou a Liga dos Campeões da Europa, com o Real Madrid; recebeu o troféu Bola de Ouro, entregue pela revista France Football; e fechou 2016 com o título do Mundial de Clubes da Fifa ; com direito a prêmio de melhor jogador da competição. Mas o ano dele só terminará mesmo em 9 de janeiro, em Zurique, onde a Fifa entregará o troféu ao melhor jogador do mundo, agora chamado The Best. CR7 leva vantagem sobre o argentino Messi para ficar com a premiação, justamente pela conquista da Champions e da Eurocopa. O terceiro finalista é Antoine Griezmann, do Atlético de Madrid.

Na decisão do Mundial de Clubes, ontem, em Yokohama, no Japão, a eleição de Cristiano Ronaldo como melhor da partida foi incontestável, especialmente pelos três gols que marcou na vitória na prorrogação, por 4 x 2, sobre o Kashima Antlers. ;Impressionante, foi um ano dos meus sonhos. Não esperava terminar assim, ganhando a final e ajudando o Real Madrid. Estou muito contente;, comemorou o português, em entrevista à TVE, da Espanha.

O camisa 7 do Real Madrid encerrou a competição como artilheiro, com quatro gols. Na semifinal, marcou uma vez no triunfo de 2 x 0 sobre o América, do México. O segundo melhor jogador eleito do Mundial foi o croata Luka Modric, também do clube espanhol. Em terceiro lugar, ficou Gaku Shibasaki, que fez os dois gols do Kashima Antlers na decisão.

O craque português destacou o nível técnico dos japoneses e as dificuldades que conseguiram impor ao Real Madrid no duelo disputado no Estádio Internacional. ;Foi uma partida de muito sofrimento. Não esperávamos que eles jogassem tão bem, mas jogamos bem também. Sofremos um pouquinho, mas as finais são assim, há que sofrer;, frisou. ;É um torneio que queríamos muito. Queríamos terminar o ano da melhor maneira e estou muito contente.;

Quando perguntado sobre as críticas que vem recebendo ultimamente, o lusitano disparou: ;Se espera sempre mais de Cristiano e eu sempre dou o melhor que tenho. Quando não acontece, é porque não dá mesmo;, rebateu. ;Mas estou muito contente. Foi uma semana de alegria, depois de ganhar a Bola de Ouro e agora o Mundial de Clubes. Um fim de ano perfeito. Agradeço aos meus companheiros porque, sem dúvida, não poderia ganhar esses prêmios sem eles;, disse.

O Real Madrid fecha o ano na liderança do Campeonato Espanhol, classificado para as oitavas de final da Liga dos Campeões e com uma invencibilidade de 37 partidas. Além disso, com a taça conquistada ontem, o time espanhol se tornou o maior vencedor da história do Mundial, com cinco títulos, superando o Milan, dono de quatro troféus.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação