Opção barata e ágil

Opção barata e ágil

postado em 19/12/2016 00:00
Do ponto de vista econômico, a opção pelas motos revela momentos opostos da economia brasileira. O crescimento da economia, entre 2002 e 2012, deu a oportunidade para muitas famílias comprarem o primeiro meio de transporte individual, e, por ser mais barata, a escolha de muitos foi pela moto. E, a partir de 2013, quando a crise deu os primeiros sinais, ela continuou atrativa pela mesma razão. A prestação cabe no orçamento cada dia mais apertado.

O economista Fábio Bentes, da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), explica que, apesar de as taxas de juro e o prazo de financiamento serem praticamente os mesmos para carros e motos, a segunda opção tem uma prestação muito menor e, por isso, é mais atrativa.

Para explicar, Bentes faz a simulação de compra de um carro popular de cerca de R$ 30 mil e de uma moto na faixa de R$ 10 mil. O preço do automóvel recuou 0,4% no último ano, segundo o IPCA. A taxa média de juros para aquisição do carro se manteve estável na casa de 1,9% ao mês, assim como o prazo de financiamento. ;Com perspectivas sombrias, a confiança do consumidor em baixa e com a queda do rendimento médio das famílias, as motos continuam sendo a opção mais atraente, mesmo com os preços 7,5% mais caros em função do aumento da demanda;, afirma.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação