Um registro de luz

Um registro de luz

Portal reúne fotógrafos especializados em clicar partos humanizados. A ideia é apresentar o trabalho de quem entende a delicadeza do momento e oferecer informações sobre o tema aos futuros papais

Carolina Cardoso*
postado em 19/12/2016 00:00


A humanização do parto devolve à mulher o protagonismo na hora de ter seu bebê e ainda contribui para a conscientização de que ela pode parir como quiser, com o respeito e o acolhimento que o momento exige. O posicionamento é cada vez mais discutido e adotado por futuras mães. Diante da nova realidade, os profissionais que trabalham com nascimento precisam conhecer o procedimento, além de se capacitar para dar à grávida o atendimento mais adequado. E essa profissionalização não está restrita apenas às equipes médicas e de acompanhamento psicológico, mas também é recomendada para aqueles que eternizam o momento. Registrar nascimentos não é novidade, mas a forma como os fotógrafos, que apoiam a humanização, têm clicado o processo, além de trazer novas narrativas fotográficas, também é uma oportunidade de compartilhar preciosas informações sobre o assunto.

Lançado em outubro deste ano, o Portal Hora Dourada reúne fotógrafos de todo o Brasil especialistas em nascimentos. A intenção das criadoras, Vívian Scaggiante e Suzanne Shub, foi exatamente a de oferecer às grávidas um serviço de fotografia feito por profissionais preparados e conscientes do que significa esse momento tão especial. Além disso, as precursoras acreditam que o portal é um espaço de tirar dúvidas e saber mais sobre o tema. Vivian explica: ;Buscar informação é o primeiro passo para a construção da autonomia e do empoderamento da mulher. Isso é fundamental para a melhoria da qualidade do atendimento no parto no país;, defende.


Só em Brasília, existem cinco fotógrafas que participam do projeto. Mari Cardoso foi uma das primeiras profissionais a se engajar. Ela considera o site algo muito mais significativo do que uma simples reunião de fotógrafos. ;O Hora Dourada está ali para disponibilizar informações e, por meio disso, mudar o quadro do parto dentro do Brasil. A intenção é que as mulheres entendam que podem, e sabem, parir; que elas têm o direito de ter uma equipe respeitosa, ajudando-as, e que o parto pode ser do jeito que elas querem;, explica.

Para o ano que vem, Vivian e Suzanne já têm planos de expandir o site. No começo de 2017, um espaço de busca de grupos de apoio à gestantes, em diferentes cidades, será disponibilizado. A proposta é de que as futuras mamães participem de rodas de conversa para gestantes, oferecidas por profissionais ligados à humanização do parto. O apoio deles contribuirá para a preparação consciente dos casais que esperam a chegada de um bebê. ;É uma ferramenta para a mãe entender como funcionam os processos do parto;, garante Vivan.

Experiências
Débora Amorim é uma das fotógrafas brasilienses que participam do Portal Hora Dourada. Ela fotografa há 16 anos, mas entrou no registro de especialista em partos humanizados em 2010, depois de fazer um curso de doula. ;As pessoas que eu atendia como doula começaram a pedir para eu fotografar a hora nascimento. Como eu já trabalhava com isso, aceitei.; Mas Débora não faz as duas coisas ao mesmo tempo e só oferece os serviços separados.

As mães optam por profissionais especializados, como Débora, por questão de confiança. Isso aconteceu com Andrea Villar, 31 anos, quando sua bebê, hoje com 6 meses, nasceu. Ela contratou Mari Cardoso dias antes de parir, justamente por saber que a fotógrafa tinha experiência e conhecimento sobre parto humanizado. ;A gente não se conhecia. Ela chegou e eu já estava na partolândia. Apesar de saber que ela estava ali, não percebia a presença dela;, relembra a educadora.

Aliás, a invisibilidade faz parte da rotina do trabalho das fotógrafas. E é indispensável. ;O fotógrafo de nascimento precisa entender primeiro o que é um parto. Não posso chegar e mudar a cena; não posso encostar na mulher e pedir para ela fazer uma pose ou ir para um novo ambiente porque a luz está ruim. O meu papel é registrar os momentos da forma que estão acontecendo e com as condições que o parto me coloca.; Ela ainda ressalta: ;Temos que ser sensíveis para receber o ambiente da forma que ele vem e não interferir. Quanto menos perceberem que estou ali, melhor.;

Camila Martins apoia a profissionalização. Ela é fotógrafa do grupo e pretende fazer cursos de doula para conhecer as especificidades do processo que humaniza os partos. ;A fotografia desse momento é um chamado. Temos que estar disponíveis sempre, além de compreender com o que estamos trabalhando;, afirma Camila.

* Estagiário sob a supervisão de Flávia Duarte

Talento atrás das câmeras

Conheça um pouco do trabalho das fotógrafas de Brasília que participam do Portal Hora Dourada:


Camila Martins
Serviços: fotografia e vídeo
Foco do trabalho: parto domiciliar e hospitalar
Endereço no portal: www.horadourada.com.br/
fotografo/camilamartins/


Nome: Ana Paula Batista
Serviços: fotografia e vídeo
Foco do trabalho: parto domiciliar
Endereço no portal: www.horadourada.com.br/
fotografo/anapaulabatista/


Mari Cardoso
Serviços: fotografia e vídeo
Foco do trabalho: parto domiciliar e hospitalar
Endereço no portal: www.horadourada.com.br/fotografo/
maricardoso/


Marília Alves
Serviços: fotografia e vídeo
Foco do trabalho: parto domiciliar e hospitalar
Endereço no portal:
www.horadourada.com.br/
fotografo/mariliaalvesfotografia/


Débora Amorim
Serviços: fotografia e vídeo
Foco do trabalho: parto domiciliar
Endereço no portal:
www.horadourada.com.br/
fotografo/deboraamorim/

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação