Eixo capital

Eixo capital

Ana maria campos/anacampos.df@dabr.com.br
postado em 10/02/2017 00:00
 (foto: Raimundo Paccó/CB/D.A Press - 3/2/96)
(foto: Raimundo Paccó/CB/D.A Press - 3/2/96)

Vigilante reage indignado a rompimento entre Cristovam e Rollemberg

O senador Cristovam Buarque (PPS-DF) e o deputado Chico Vigilante já foram amigos, aliados e companheiros nas adversidades políticas, mas o tempo e o impeachment de Dilma Rousseff os afastaram. Agora, aparentemente, sem volta. A reação mais indignada à declaração de rompimento de Cristovam ao governo de Rodrigo Rollemberg (PSB) partiu do distrital petista. Vigilante divulgou nota em que criticou a postura do senador de apoiar candidatos durante a campanha, como aconteceu com Agnelo Queiroz (PT) em 2010 e com Rollemberg em 2014, e depois partir para a oposição. ;Incoerência tem limites;, disse Vigilante. O PPS rebateu: ;Hipocrisia tem limites;. O partido de Cristovam destaca que Vigilante seria uma espécie de líder do governo Rollemberg sem assumir a função publicamente. ;Ao contrário do senador Cristovam Buarque que não troca seu mandato pelos ;encantos; dos governos, o deputado Chico Vigilante com suas atitudes estabeleceu com o governo Rollemberg uma relação promíscua em que ambos se envergonham de estarem juntos e por isso não se assumem;, ressaltou o PPS. Em seguida, Vigilante reagiu, de forma mais dura: ;Ex-reitor da UnB, atual reitor da Odebrecht, Cristovam Buarque é uma vergonha para a política do DF e um constrangimento permanente para os eleitores que nele votaram no passado;. E acrescentou: ;O fato de ele ter, em nova empreitada, traído Rollemberg, não causa espanto em ninguém;.


Celina é quem ganha mais

A movimentação desta semana de Cristovam Buarque (PPS-DF) encheu a bola da deputada Celina Leão (PPS). Ninguém ganhou tanto como ela. Depois de ser denunciada por corrupção na Operação Drácon, afastada da Presidência da Câmara Legislativa por decisão judicial, com um pedido do Ministério Público a ser julgado de destituição do mandato como deputada distrital, Celina ganhou indiretamente o apoio público de um parlamentar que tem em sua biografia a marca da ética na política.


PSB responsabiliza projeto de reeleição

A nota do PSB-DF, partido do governador Rodrigo Rollemberg, ainda deu mais crédito para a deputada Celina Leão pela postura de oposição adotada pelo senador Cristovam Buarque. ;Há muito o PPS já se afastara do governo socialista de Rodrigo Rollemberg motivado não por nobres interesses da cidade e sim pela tentativa casuística de tentar reeleger a deputada distrital;, apontou o partido. Em outras palavras, foi tudo culpa do projeto de reeleição de Celina Leão à Presidência da Câmara, que a princípio foi combatido por Rollemberg e depois frustrado pela Operação Drácon.



De que lado está?

O presidente da Câmara Legislativa, Joe Valle (PDT), participou da composição da mesa na Câmara Legislativa do evento em que o PPS anunciou rompimento ao governo Rollemberg. Joe tem dito que atuará sempre como intermediário dos temas controversos em debate no Distrito Federal. Mas ficou parecendo que apoiou a posição do partido de Cristovam Buarque, Celina Leão e Raimundo Ribeiro.



Fora da política até 2034

A condenação pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por abuso de poder político na campanha de 2014 deixou o ex-governador Agnelo Queiroz (PT) abatido. Político com mandato desde a primeira legislatura na Câmara Legislativa, o petista tinha pretensões de concorrer a novo mandato no Congresso. Se não conseguir reverter a decisão no Supremo Tribunal Federal (STF), Agnelo ficará afastado da política até as eleições de 2026. Se o TSE mantiver uma outra condenação a que Agnelo foi submetido por irregularidades na campanha à reeleição, a inelegibilidade será ainda mais longa ainda. As penas se somam. Assim, ele estará fora de campanhas até 2034.



Lava-Jato nos estados

A devassa nas contas do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral deve se repetir em outros estados e no Distrito Federal. O coordenador da Lava-Jato em Curitiba, procurador Deltan Dallagnol, disse, em entrevista ao UOL, que as delações premiadas da Odebrecht devem se transformar em ;filhotes; da operação em todo o país.


Fona de Fiat Uno

O novo secretário de Comunicação, Paulo Fona, conta que voltava para casa, no Lago Norte, depois de um dia de trabalho, quando foi reconhecido por uma pessoa na rua, provavelmente pelos tempos em que foi porta-voz de Joaquim Roriz. No sinal, um jovem gritou: ;Paulo Fona, usando Fiat Uno; O GDF tá mudando mesmo;.



Em nome da transparência

O deputado Cláudio Abrantes (Rede) quer mais transparência nos gastos da Câmara Legislativa com a cota de correspondência. Como a coluna tem mostrado, essa despesa atingiu a cifra de R$ 6,1 milhões nos últimos dois anos. Em ofício encaminhado ao presidente da Casa, Joe Valle (PDT), e ao segundo secretário, Robério Negreiros (PSDB), a quem cabe a gestão desses gastos, Abrantes pede que os dados sejam disponibilizados no site da Câmara mensalmente, para que todos os cidadãos tomem conhecimento do montante gasto por deputado distrital.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação