Testemunha tentou socorrer Iago Gomes

Testemunha tentou socorrer Iago Gomes

postado em 21/02/2017 00:00
 (foto: Reprodução  )
(foto: Reprodução )




Cerca de 100 amigos e familiares acompanharam o sepultamento de Iago Guedes Gomes, 24 anos, na manhã de ontem, no Cemitério Campo da Esperança, na Asa Sul. O jovem morreu após ser esfaqueado durante um assalto, na noite de sábado, na parada de ônibus da 112 Sul. O velório começou às 9h, na Capela 2 do Cemitério Campo da Esperança, e o corpo de Iago foi enterrado ainda pela manhã, por volta das 10h20. Abalada, a família preferiu não dar entrevistas.

O crime é investigado como latrocínio (roubo com morte). A dupla de criminosos que atacou o jovem também assaltou outra mulher que aguardava o coletivo. A atendente de 23 anos estava na parada, ao lado de Iago, e presenciou a cena. Além de testemunhar o crime, ela se despediu da vítima no cemitério na manhã de ontem. Segundo a jovem, um casal os abordou e exigiu celulares, carteiras e dinheiro. ;Nesse momento, o Iago ficou entre o assaltante e um terceiro passageiro, que conseguiu sair correndo. Ele (a vítima) pediu para o cara ir embora, e os dois começaram a brigar. Foi quando Iago acabou sendo esfaqueado próximo ao peito;, detalhou a atendente.

A testemunha disse, ainda, que, mesmo ferido, Iago tentou segurar o assaltante, mas o criminoso fugiu. ;Fui tentar ajudar o Iago a levantar, mas ele só conseguiu dizer para mim: ;Agora, já era;. Mas eu tinha esperança de ele conseguir sobreviver;, lamentou. A jovem, ao procurar a vítima pelo nome nas redes sociais para tentar avisar à família, descobriu que o conhecia por meio de uma prima.

A vítima, que trabalhava como atendente na loja de conveniência do posto de gasolina da 313 Sul, chegou a ser socorrida pelo Corpo de Bombeiros e encaminhada ao Hospital de Base do DF, mas não resistiu aos ferimentos. Uma equipe da 1; Delegacia de Polícia (Asa Sul) compareceu ao local, mas os suspeitos não foram encontrados. O crime aconteceu por volta das 23h20. A vítima tinha acabado de sair do trabalho e esperava transporte para casa, no Guará. O jovem havia se mudado recentemente para a casa dos avós para ficar mais perto do trabalho.

Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal (SSP-DF), entre janeiro e dezembro de 2016 foram registrados 14 homicídios e 3.186 roubos a pedestres na área de Brasília. A região abrange Plano Piloto, lagos Sul e Norte, Setor Militar Urbano, Noroeste, Setor de Indústrias Gráficas (SIG), Granja do Torto, Vila Planalto e Vila Telebrasília.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação