Arrecadação melhora

Arrecadação melhora

» ROSANA HESSEL Colaborou Simone Kafruni
postado em 23/02/2017 00:00

A arrecadação do governo federal somou R$ 139,7 bilhões em janeiro ; alta real (descontada a inflação) de 0,79% em comparação com o mesmo período do ano anterior ;, conforme dados divulgados ontem pela Receita Federal. O desempenho ficou acima da inflação oficial registrada no mês passado, de 0,38%, mas não é motivo de comemoração, avisam os especialistas.

De acordo com o chefe do Departamento de Estudos Aduaneiros da Receita, Claudemir Malaquias, houve um aumento atípico na receita com royalties do petróleo, que vem recuperando os preços no mercado externo. Deu um salto de 60%, passando de R$ 3,2 bilhões em janeiro de 2016 para R$ 5,4 bilhões no mês passado.

O desempenho do setor financeiro, na contramão dos segmentos relacionados ao consumo que registram queda generalizada, também ajudou. As receitas com Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e Contribuição sobre o Lucro Líquido (CSLL) das instituições financeiras avançaram 21%, somando R$ 10,6 bilhões, resultado R$ 1,8 bilhão superior ao do mesmo período de 2016.

A alta da receita de janeiro acompanhou as de outubro e de novembro passados, quando houve crescimento com a repatriação de ativos, de R$ 46,8 bilhões. Para este ano, o governo conta com uma segunda rodada do programa de regularização dos bens não declarados no exterior, para evitar um contingenciamento de gasto no próximo mês. A receita estimada gira em torno de R$ 20 bilhões a R$ 30 bilhões.

O projeto de lei que recria o regime especial está no Senado e sua votação foi adiada para depois do carnaval. Para o ministro interino do Planejamento, Dyogo Oliveira, a tramitação está sendo ;célere;. ;As notícias que nós temos é que será aprovado brevemente no Senado e que, portanto, poderemos contar com essa receita;, disse.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação