Chile critica Cuba por negar visto a Almagro

Chile critica Cuba por negar visto a Almagro

postado em 23/02/2017 00:00
 (foto: Yamil Lage/AFP)
(foto: Yamil Lage/AFP)



Três cadeiras vazias, com os nomes do secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), o chileno Luis Almagro, do ex-presidente mexicano Felipe Calderón, e da ex-ministra da Educação do Chile Mariana Aylwin. Sobre elas, o Prêmio Oswaldo Payá, concedido pela Rede Latino-Americana de Jovens pela Democracia, organização vinculada à dissidência cubana. A recusa do Consulado de Cuba em Washington em entregar o visto a Almagro, um dos homenageados, provocou um atrito diplomático entre Santiago do Chile e Havana. Na terça-feira, a chancelaria chilena divulgou nota oficial em que afirmava ;lamentar profundamente a situação; e prometia apresentar mal-estar às autoridades cubanas, além de informar ao embaixador do Chile em Havana.

Luis Almagro enviou carta a Rosa Maria Payá, filha de Oswaldo Payá e diretora da Rede Latino-Americana de Jovens pela Democracia, por meio da qual explicou o motivo de não comparecer à entrega do prêmio. ;Levo ao seu conhecimento minha impossibilidade de ir, já que minha solicitação de visto para o passaporte oficial da OEA foi negada pelo Consulado de Cuba em Washington, ao mesmo tempo em que me foi negada a possibilidade de entrada com documento uruguaio, que não requer visto;, escreveu.

Segundo ele, no dia 16, o funcionário da OEA Chris Hernández-Roy foi convocado pelo cônsul de Cuba em Washington e pelo primeiro secretário-geral do Consulado. Os diplomatas cubanos afirmaram a Chris que não concederiam o visto a Almagro, expressaram ;assombro; pelo envolvimento do secretário-geral com ;atividades anti-cubanas; e denunciaram ;uma provocação inaceitável;. Também disseram que a organização não governamental Cuba Decide ;enfraquece; o sistema eleitoral cubano. ;Não é do meu interesse avaliar a situação política interna de Cuba, nem suas diferentes tendências políticas. E não me compete opinar sobre isso;, comentou Almagro. Mariana Aylwin, filha do ex-presidente chileno Patricio Aylwin, foi informada pelas autoridades cubanas que tinha sido declarada ;inadmissível;.

Ofelia Acevedo Maura, viúva de Oswaldo Payá e mãe de Rosa Maria, afirmou ao Correio que o regime cubano é uma ;ditadura absoluta intolerante;. ;Para eles, qualquer iniciativa, por mais sincera que seja e que não sirva aos seus interesses totalitários, é uma agressão. Isso é totalitarismo;, desabafou, por telefone, de Miami. ;O Prêmio Oswaldo Payá homenageou o meu marido, um lutador pelos direitos humanos e pela democracia em Cuba, assassinado pelo governo há cinco anos.; Oswaldo morreu em um desastre automobilístico considerado suspeito pela dissidência. (RC)



Eu acho...

;O governo de Cuba nunca foi eleito pelo povo. É um governo totalitário e absoluto. Eles não querem demonstrar tolerância, não aguentam ninguém que pense diferente deles e que seja reconhecido pelo pensamento democrático livre.;



Ofelia Acevedo Maura, mãe de Rosa Maria Payá

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação