Eixo capital

Eixo capital

Ana maria campos/anacampos.df@dabr.com.br
postado em 23/02/2017 00:00
 (foto: Carlos Moura/CB/D.A Press - 14/6/16)
(foto: Carlos Moura/CB/D.A Press - 14/6/16)

Cristovam e Reguffe votam contra indicação de Alexandre de Moraes ao STF

Dois dos três senadores do DF votaram contra a indicação de Alexandre de Moraes para o Supremo Tribunal Federal (STF). Cristovam Buarque (PPS) e José Antônio Reguffe (Sem partido) estão entre 13 senadores que disseram não à nomeação do ministro da Justiça para o topo da carreira do Judiciário. Para Cristovam, o presidente Michel Temer errou ao fazer uma escolha política, de um integrante de seu próprio governo, para o STF, num momento em que se discute os rumos da Operação Lava-Jato. Reguffe também é contra indicações políticas e contesta a forma de nomeação de ministros de tribunais superiores em vigor no país.




Pausa para relaxamento

Já o senador Hélio José (PMDB) votou a favor da indicação de Alexandre de Moraes e foi um aliado na sabatina dele na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. Uma pergunta do senador peemedebista na sabatina de Moraes repercutiu muito nas redes sociais. ;Como é que tá (sic) as expectativas aí, depois de tantas perguntas, para os novos passos?;. Difícil essa. Talvez uma chance para Moraes relaxar.



Aliança pragmática

Na eleição de Joe Valle (PDT) para o comando da Câmara, em dezembro, integrantes do governo criticaram a aliança com deputados denunciados na Operação Drácon. Mas o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) não teve dificuldades em abrir as portas de sua base para o deputado Cristiano Araújo (PSD), que está entre os parlamentares incluídos na ação penal por corrupção proposta pelo Ministério Público do DF e Territórios, assim como Bispo Renato (PR) e Júlio César (PRB), que já integravam a aliança governista.




Sem reajuste, mas com medalhas

Em tempos de falta de dinheiro para reajustar os salários dos servidores, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) prestou uma homenagem a funcionários de carreira, com mais de 10 anos de serviços prestados, na entrega da Medalha do Mérito Buriti, na última terça-feira. A solenidade não era realizada havia sete anos. Depois das medalhas, uma belíssima apresentação da orquestra sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro, sob a regência do maestro Cláudio Cohen. A secretária de Planejamento, Orçamento e Gestão, Leany Lemos (foto), também foi agraciada como integrante do conselho do mérito da medalha. Para Rollemberg, poucos membros do governo merecem tanto quanto ela.


Desgaste do racionamento

A ampliação do racionamento de água tem sido discutida diretamente com o governador Rodrigo Rollemberg (PSB). O presidente da Adasa (Agência Reguladora de Águas), Paulo Salles, tem apresentado os cenários em reuniões no Palácio do Buriti. O desgaste é avaliado do ponto de vista político, mas a palavra final ainda é técnica.


Agora vai: oficial de justiça encontra Bessa

Depois de várias tentativas, um oficial de justiça conseguiu nesta semana intimar o deputado Laerte Bessa (PR-DF) para apresentar defesa prévia na queixa-crime promovida pelo governador Rodrigo Rollemberg (PSB) contra ele. O processo que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) trata do discurso em que Bessa chamou Rollemberg, entre outras coisas, de ;maconheiro; e ;preguiçoso;. Como a coluna mostrou nesta semana, Bessa não havia sido encontrado em várias tentativas de notificação em dezembro.



Sem alianças com alvos do MP

O deputado Chico Leite (Rede) não topou integrar um bloco com a deputada Celina Leão (PPS) para a eleição das presidências das comissões da Câmara Legislativa, por conta da denúncia contra ela na Operação Drácon. Mas, nesta semana, ele se recusou também a participar de uma aliança com Liliane Roriz (PTB), a principal testemunha da acusação de corrupção. Liliane também tem pendências na justiça. Procurador de justiça licenciado, ele adotou essa regra. Não faz parceria com os alvos do Ministério Público. Por isso, evitou votar no deputado Wellington Luiz (PMDB) para a vice-presidência da Câmara em dezembro. Ontem foi a vingança dos adversários. Na votação de Chico para a ouvidoria da Casa, Celina, Wellington e Raimundo Ribeiro (PPS) se retiraram do plenário. Liliane não apareceu para votar.



Voto e retribuição

Já começou a funcionar a reaproximação do governador Rodrigo Rollemberg (PSB) com o PSD, de seu vice, Renato Santana, e do deputado Rogério Rosso. O único distrital da legenda, Cristiano Araújo, votou ontem como aliado do governo no comando das comissões permanentes da Câmara Legislativa. Nesse acordo, abriu mão de presidir a de Assuntos Fundiários, como havia acertado anteriormente com o grupo que elegeu Joe Valle (PDT) à Presidência da Casa. Mas nada é de graça. O PSD espera agora uma retribuição. Em negociação, uma secretaria ou administração regional para Renato Santana.




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação