De tudo um pouco!

De tudo um pouco!

Dramas apreensivos, aventuras fantásticas e produções nacionais incomuns estão no variado cardápio da programação de cinema em dias de Momo

Ricardo Daehn
postado em 23/02/2017 00:00
 (foto: 24A/Divulgação)
(foto: 24A/Divulgação)

Em temporada de Oscar, quando os olhos se voltam para um congraçamento dado como global para a sétima arte, a festa para a (quase) unanimidade chamada La la land ; Cantando estações tem uma ameaça virtual, justamente a maior estreia da semana no circuito de cinema: Moonlight ; Sob a luz do luar. Candidato a oito estatuetas douradas da Academia, o filme de Barry Jenkins pode ser a surpresa da cerimônia de 2017, a 89; na história de Hollywood.

Rearranjando elementos raros para produções nacionais, Bugigangue no espaço e Internet ; O filme são opções para quem prestigia o entretenimento brasileiro. O primeiro filme é uma animação em 3D, que reúne crianças e alienígenas. Noutra investida, Internet ; O filme homenageia a busca desenfreada por popularidade por parte dos youtubers. Na linha da ação e do thriller, há dois exemplares, a partir de hoje na telona: A lei da noite e A grande muralha, respectivamente, com os astros Ben Affleck e Matt Damon.




Moonlight ; Sob a luz do luar
Ainda um nome pouco conhecido, o diretor Barry Jenkins angariou a simpatia, praticamente de imediato, da crítica e do público norte-americanos, além de surpreender ao conquistar com Moonlight, oito indicações ao Oscar, entre elas as de filme, direção e roteiro. A partir de US$ 5 milhões de investimento, o filme independente trata de três fases distintas do personagem Chiron, o ;Little; ; pela ordem, interpretado por Alex R. Hibbert, Ashton Sanders e Trevante Rhodes. Destacado pelas atuações de coadjuvantes, no Oscar, Moonlight conta ainda com os indicados Mahershala Ali e Naomie Harris.



A grande muralha
Quase aos 70 anos de idade, o reconhecido diretor chinês Zhang Yimou ; que deu ao cinema títulos de beleza singular, como Lanternas vermelhas ; fez a estreia no cinema de Hollywood, com a maior coprodução já realizada entre China e Estados Unidos. Preso por um exército intitulado A Ordem sem Nome, o protagonista William Garin (Matt Damon) vive um pesadelo dentro de uma verdadeira fortaleza. Junto com o personagem de Willem Dafoe, obcecado por escapar da muralha, o guerreiro mercenário William tem pela frente mais limitações: criaturas misteriosas ameaçam quebrar um cerco de proteção.



Monster trucks
Uma pequena cidade ainda desconhece a existência de uma inacreditável criatura que se alimenta de petróleo, no início do longa Monster trucks, dirigido por Chris Wedge. Famoso por comandar tramas como as das animações Robôs (2005) e A era do gelo (2002), Wedge mostra um ecossistema ameaçado, na nova aventura, idealizada como programa de cinema para a família. Na fantasia protagonizada por Lucas Till (astro da série cinematográfica dos X-Men), uma empresa que busca petróleo esbarra nos interesses de um jovem que administra a construção de engenhocas de caminhões feitos com sucata.



Internet ; O filme
O filme de estreia do diretor Fillipo Capuzzi Lapietra tem, na verdade, origem nas redes sociais. A partir de oito esquetes compartilhados, aos milhares, na internet, veio a base do longa detido no exame de uma convenção de youtubers que buscam a fama a qualquer preço. Corroteirizado por Rafinha Bastos, o longa tem no elenco personalidades como Julio Cocielo, Pathy dos Reis, Filipe Castanhari e PC Siqueira.



Bugigangue no espaço
Primeiro cineasta brasileiro a fazer uso de tecnologia D-Box, que resulta naquele detalhe das projeções de cinema no qual há vibrações de poltronas, Ale McHaddo está à frente de Bugigangue no espaço. Com apelos bem populares que citam mitos brasileiros como o E.T. de Varginha e uma gangue de chupa-cabras, o filme coloca os amigos dos protagonistas Gustavinho e Fefa tomando parte de um grupo dissidente de alienígenas chamado Invas. No centro das ameaças à Terra, está o vilão Gana Golber. Entre as curiosidades do filme em 3D, merece destaque o uso de 350 horas extras de estúdio para a sincronicidade entre a fita e os equipamentos D-Box.



Bwakaw
Em alta, com a projeção de cineastas do porte de Lav Diaz (premiado no Festival de Locarno) e de Brillante Mendoza (Em nome de Deus), o cinema filipino tem característica múltipla dos dramas que lhe renderam prestígio. A confirmação está na comédia assinada por Jun lana, Bwakaw, que estreia de hoje. Na trama René é um idoso, que vive isolado de meios sociais, tendo como companhia o cachorro Bwakaw. Gay, que assumiu a sexualidade há pouco, ele acredita estar morrendo, e trata de antecipar o testamento. Com Bwakaw doente, René, pela circunstância, conhece Sol, um homem capaz de lhe apresentar um novo horizonte de vida.



Marguerite e Julien: Um amor proibido
Atriz e diretora destacada para o Festival de Cannes e para a 40; Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, a francesa Valérie Donzielle cerca um tabu, no mais recente longa: o incesto. Estrelado pela dupla Ana;s Demostier e Jérémie Elka;m, o filme se baseia em trama real transcorrida no século 17. Filhos da família Tourlaville, Marguerite e Julien ganharam um filme triste e que incorpora alguns elementos bem modernos, especialmente na trilha sonora.



A lei da noite
Depois de sucessos como diretor de longas premiados, entre os quais Argo e Atração perigosa, o cineasta Ben Affleck amarga o fracasso (no mercado norte-americano) com A lei da noite, thriller que ainda nem bateu a casa dos US$ 11 milhões em bilheterias. Com ambientação em Tampa, a trama vem de enredo da literatura de Dennis Lehane (famoso por Sobre meninos e lobos). Joe (interpretado por Affleck) é um veterano da Primeira Guerra Mundial que desafia a rígida educação recebida em casa, pelo fato de ser filho de um superintendente de polícia. Com senso de justiça peculiar, ele aposta no mercado de rum comercializado por meios ilegais.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação